Novo HamburgoVariedades

Fundação Cultural Montblanc anuncia os artistas que vão integrar a Montblanc Art Collection em 2018

Artistas foram escolhidos por um Curatorium que tem participação de Jochen Volz, diretor da Pinacoteca de São Paulo

Guiados pela crença de que as artes inspiram novas idéias e pensamentos, há mais de 25 anos a Fundação Cultural Montblanc tem facilitado o desenvolvimento artístico, abrindo oportunidades para que os artistas produzam e mostrem o seu trabalho. Como parte de seu compromisso de apoiar uma nova geração de artistas, a Fundação anuncia os nomes de Ruby Onyinyechi AmanzeMercedes Dorame e Emmanuelle Lainé como beneficiários do seu Programa de Comissionamento de Artista para a Montblanc Art Collection em 2018. Premiado anualmente, o programa permite que artistas emergentes produzam novos trabalhos no contexto de uma exposição institucional, uma bienal ou um festival de arte. Com foco na diversidade e na inclusão, é geograficamente inclusivo e aberto a todas as formas de práticas artísticas contemporâneas.

O trabalho da nigeriana ruby onyinyechi amanze será apresentado na 33ª Bienal de São Paulo de 2018, a obra comissionada da artista americanaMercedes Dorame será vista no Hammer Museum em Los Angeles em 2018, enquanto o trabalho criado pela artista francesa Emmanuelle Lainé será apresentada no HENI Project Space, Galeria Hayward em Londres no outono europeu de 2018. Após a apresentação inicial, as obras de arte comissionadas se juntarão à coleção de arte contemporânea da Fundação em Hamburgo. Os beneficiários do Programa da Comissão de Artistas foram selecionados pelo Curatorium da Fundação Cultural Montblanc, composto por Anne Barlow (diretor Tate St. Ives), Sunjung Kim (diretor Bienal de Gwangju), Jean de Loisy (presidente Palais de Tóquio), Franklin Sirmans (diretor do Museu de Arte Perez), Jochen Volz (diretor Pinacoteca do Estado de São Paulo) e Sam Bardaouil e Till Fellrath (presidentes, Fundação Cultural Montblanc). O Programa foi lançado em maio de 2017 com o apoio dos artistas baseados em Manila, Katherine Nuñez e Issay Rodriguez, vencedores do Programa em 2017. Autores da instalação, In Between the Lines, a obra foi exibida como parte da exposição principal Viva Arte Viva na 57ª Bienal de Veneza.

Publicidade
Da esquerda para a direita: Emmanuelle Lainé (foto: Michael Huard), Mercedes Dorame (foto: Handwerker Gallery) e Ruby Onyinyechi Amanze (foto: Sahar Coston-Hardy)

Ao falar sobre os beneficiários, os presidentes da Fundação Cultural Montblanc, Sam Bardaouil eTill Fellrath, disseram: “A seleção reconhece o trabalho de três artistas incrivelmente talentosos que, a seu modo, estão empurrando os limites formais de suas respectivas disciplinas. Esperamos que o Programa sirva de plataforma para conectar seu trabalho a um público mais amplo”. O CEO da Montblanc, Nicolas Baretzki, acrescentou: “Dar aos artistas a liberdade e uma plataforma para se expressar é o cerne do propósito da Fundação Cultural Montblanc. É um privilégio apoiar três talentosos artistas que trabalham em contextos culturais tão diversos. O trabalho deles exemplifica a crença da Montblanc de que, quando a arte tem o reino livre para florescer, pode encantar e inspirar as audiências com sua ousadia, perturbação e criatividade”.

Etiquetas
Publicidade
Botão Voltar ao topo
Fechar