Esportes

Isadora Williams fica em 24º lugar na patinação artística de PYEONGCHANG 2018

Primeira e única atleta da América Latina a competir na patinação artística em Jogos Olímpicos de Inverno, a brasileira Isadora Williams encerrou sua participação em PyeongChang 2018 em 24ºlugar na prova individual feminina. Esta foi a primeira vez que uma patinadora do continente se classificou para o Programa Longo dos Jogos, realizado nesta quinta-feira, dia 22 (de Brasília), após ter alcançado a 17ª colocação com uma brilhante apresentação do Programa Curto, há dois dias. Ao final da prova, em reconhecimento ao feito histórico, a brasileira foi anunciada como porta-bandeira da delegação na Cerimônia de Encerramento dos Jogos, marcada para o domingo, 25.

Durante a disputa do Programa Longo, Isadora Williams não conseguiu manter o nível sua apresentação anterior, quando encantou o público presente na Gangneung Ice Arena e passou para a final da competição entre as 17 melhores atletas do mundo. Aparentando nervosismo, a brasileira não fez a apresentação limpa que planejou e alcançou 88,44 pontos, chegando aos 144,18 no total, após a soma com o Programa Curto (55,74).

“Estou feliz por ter qualificado o Brasil para o Programa Longo pela primeira vez em uma Olimpíada. Mas eu tinha mais expectativas porque gosto muito da minha apresentação”, afirmou a brasileira, de 22 anos. “Depois que errei o primeiro salto eu fiquei muito nervosa. Eu estava treinando muito bem e já realizei várias vezes o Programa Longo sem nenhum erro. Eu não sei porque não fiz o uma apresentação limpa”, disse a patinadora, que irá disputar o Campeonato Mundial de Milão, na Itália, de 19 a 25 de março.

A medalha de ouro da competição foi para a atleta olímpica russa Alina Zagitova (238,57 pontos), de apenas 15 anos. A prata também foi para uma atleta olímpica russa, Evgenia Medvedeva (238,26). A canadense Kaetlyn Osmond conquistou o bronze (231,02). Após a competição, o chefe da missão brasileira, Stefano Arnhold, anunciou a patinadora como porta-bandeira do Time Brasil no encerramento dos Jogos. Mesmo já tendo sido a porta-bandeira da delegação brasileira nos Jogos Olímpicos de Sochi 2014, o anúncio de que repetiria a honraria em PyeongChang pegou a atleta de surpresa. “É uma honra muito grande carregar a Bandeira Brasileira mais uma vez”, disse a patinadora.

Filha de mãe brasileira e pai norte-americano, Isadora Marie Williams nasceu em Marietta, nos Estados Unidos, e possui dupla cidadania. Começou a patinar aos cinco anos, após o pai a levar em um rink onde moravam. Aos nove, quando já participava de competições nos Estados Unidos, manifestou seu desejo de representar o Brasil na modalidade. Estreou pelo país em março de 2010, no Mundial Júnior de Patinação Artística realizado na Holanda.

Em 2013, conquistou a 25ª colocação no Mundial Senior, ainda hoje a melhor marca brasileira na competição. No mesmo ano, Isadora Williams conquistou uma das vagas olímpicas disponíveis para Sochi 2014, quando se tornou a primeira latino-americana a competir na patinação artística em uma edição dos Jogos Olímpicos de Inverno. Com apenas 18 anos, a brasileira não conseguiu ficar entre as 24 atletas que passaram para o Programa Longo.  Após a participação em Sochi, Isadora percebeu que tinha potencial para evoluir ainda mais.  E resolveu encarar seu sonho de frente. Saiu da casa dos pais e foi morar sozinha em Little Falls, no estado de Nova Jersey (EUA), para treinar sob a coordenação dos técnicos Igor Lukanin e Kristin Fraser. A jovem amadureceu suas apresentações e incorporou novos elementos. A rotina da brasileira é dura. Isadora estuda Nutrição e Negócios do Esporte na Montclair State University, além de dar aulas de patinação para crianças. O trabalho deu resultado. Nos Jogos Olímpicos de Inverno PyeongChang 2018, a atleta chegou ao seleto grupo de 24 concorrentes que participaram da final olímpica.

Etiquetas
Publicidade
Fechar

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios