DestaqueSaúde

Milium: bolinhas brancas que se formam na pele

Dermatologista explica como se formam os miliuns, pequenos cistos que, apesar de benignos, incomodam muita gente

Apesar de muita gente não saber do que se trata, o milium é um problema muito comum. Por causa disso, algumas pessoas convivem com essas bolinhas no rosto, que, apesar de serem benignas, podem causar grande desconforto estético. “Miliuns são pequenos cistos epidérmicos, sem conteúdo sebáceo, formados pelo excesso de queratina e células mortas presentes na pele. Normalmente aparecem no rosto, principalmente ao redor dos olhos e na região nasal, na forma de pequenas bolinhas brancas ou amareladas”, explica a dermatologista Dra. Valéria Marcondes, membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia e da American Academy of Dermatology (AAD).
O milium é muito comum em bebês, atingindo cerca de 50% dos recém-nascidos. Segundo a especialista, isso ocorre porque as células dessas crianças ainda não são eficientes o bastante para conseguir eliminar todo o excesso de queratina e células mortas, que acabam acumulando na superfície da pele. O milium também é comum em pessoas que passaram por cirurgias e estão em processo de cicatrização. Nesses casos, os pontinhos brancos aparecem perto das linhas e cicatrizes cirúrgicas. “Existe também uma tendência genética para o aparecimento da doença. Além disso, os cistos podem aparecer em pessoas com a pele oleosa e espessa demais ou com doenças de pele, como doenças bolhosas e queimaduras”, completa.
Nos bebês, o milium tende a desaparecer dentro de algumas semanas. Porém, nos adultos ele pode acabar sendo mais duradouro e, por ser facilmente confundido com cravos ou espinhas, muitas pessoas tentam espreme-los, o que não deve ser feito, já que eles não vão sair e podem acabar infeccionando ou deixando marcas na pele. “O tratamento deve sempre ser feito por um dermatologista, para que não ocorra o risco de lesões e infecções. Normalmente, até mesmo os esteticistas que realizam limpeza de pele encaminham o paciente para um dermatologista para a retirada do milium”, alerta a Dra. Valéria.

De acordo com a dermatologista, os miliuns podem ser retirados com peelings químicos, lasers ou por dermoabrasão, onde a pele é lixada e desgastada. Alguns ácidos também podem ser utilizados no tratamento dos pontinhos brancos, como, por exemplo, o ácido retinóico. “Porém, o tratamento mais comum é a remoção dos cistos através de agulhas cirúrgicas bem fininhas. Neste procedimento, o dermatologista perfura a camada mais externa de cada pontinho e elimina todo o conteúdo cístico que tem dentro. Se feito corretamente, o tratamento não danifica e nem causa cicatrizes na pele”, destaca.
Quanto à prevenção, ainda não há uma fórmula exata para evitar aparecimento da doença. No entanto, algumas medidas podem ajudar. Por exemplo, ter uma rotina de limpeza de pele, realizar esfoliações regulares e utilizar produtos específicos para o seu tipo de pele são cuidados que contribuem para que os miliuns não apareçam. “O mais importante é que você faça consultas regulares ao dermatologista, pois apenas ele saberá dizer quais os produtos e cuidados ideias para cada tipo de pele”, finaliza a Dra. Valéria Marcondes.

Posts relacionados

Botão Voltar ao topo