DestaqueNovo HamburgoVale do Sinos

Vale Germânico será lançado em Morro Reuter nesta sexta-feira

O Vale Germânico, região turística recém reconhecida e homologada pelo Ministério do Turismo, atribui ao Vale do Sinos características que já estão em seu DNA, mas que agora, poderão ser exploradas oficialmente como produto turístico. Caminhos da Imigração é o conceito idealizado para as rotas e roteiros do vale que está nascendo com cerca de 50 atrativos, entre festas e espaços elencados pela Câmara Setorial de Turismo da Associação dos Municípios do Vale do Rio do Sinos (Amvars) que reúne gestores de 13 cidades, 9 delas integradas ao Vale Germânico. A homologação do Vale Germânico pelo órgão federal será comemorada dia 1º de novembro, a partir das 11h, no Largo da Igreja de Pedra de São José do Herval (Km 8 da VRS 873) em Morro Reuter, em um evento típico alemão destinado a autoridades, entidades e imprensa.

Captação de recursos

Publicidade

O Vale Germânico está sendo organizado e formatado por meio da Amvars e do consórcio público CP Sinos, que será canal para captação de recursos financeiros de fomento à atividade.

Festa de lançamento

O recente reconhecimento do Vale Germânico como região turística deu start para uma série de ações. Entre elas uma festa típica para comemorar a conquista e que será realizada na localidade de São José do Herval, em Morro Reuter num largo tipicamente germânico. Quem participar do evento dia 1º de novembro a partir das 11h, conhecerá de perto um centenário armazém alemão ainda em atividade e instalado numa casa enxainel (estilo arquitetônico típico germânico) e poderá ainda visitar o também centenário restaurante típico alemão da família Killing ou conhecer a igreja de pedra, uma das belezas do espaço que receberá o evento, uma espécie de amostra da cultura e gastronomia germânica. Cucas, linguiça, strudel, bolinho de batata, pão de laranja, schmier, chucrute, eisbein, pães, bolos, chope, bandinha, apresentação de dança e da tradicional dança polonaise são alguns dos atrativos previstos.

Publicidade

Características regionais

A prefeita de Novo Hamburgo e presidente da Amvars Fátima Daudt, destaca que tanto a escolha do nome quanto a necessidade de inclusão deste como opção turística se deve às características regionais das cidades, a maioria colonizada por alemães e que mantém aspectos históricos, gastronômicos e até arquitetônicos relacionados à cultura. Dentre as cidades que integram o Vale está São Leopoldo, berço da colonização alemã no Brasil (1824) cujo bicentenário ocorre em 2024.

Câmara Setorial

Grupos de trabalho composto por gestores de turismo de todas as cidades sob jurisdição da Amvars integram a Câmara Setorial de Turismo da entidade e estão organizando de forma coletiva o Vale Germânico. O trabalho consiste no levantamento detalhado de atrações, espaços, serviços, restaurantes, hotelaria, receptivos, agências de viagens e o resgate da própria história da região, num trabalho minucioso de organização para fins turísticos. O levantamento já resultou na identificação de pelo menos 50 atrativos e festas que irão compor os Caminhos da Imigração, conceito idealizado para rotas e roteiros da região nas áreas histórico-cultural; de negócios; religioso; rural e esportivo.

Cidades do Vale Germânico

Araricá, Campo Bom, Dois Irmãos, Ivoti, Sapiranga, São Leopoldo, Santa Maria do Herval,Morro Reuter e Novo Hamburgo.

Novas adesões

Além das nove cidades já reconhecidas como Vale Germânico, outras quatro estão em processo de documentação para serem incluídas no próximo edital do Ministério do Turismo, mas já atuam como parceiras da iniciativa. São elas: Estância Velha, Nova Hartz, Presidente Lucena e Lindolfo Collor.

Publicidade

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo
Fechar