Notícias

Moro anuncia sua saída do Ministério da Justiça

Em pronunciamento realizado na manhã desta sexta-feira (24), Sergio Moro anunciou que deixa o cargo de ministro da Justiça e Segurança Pública após a publicação no Diário Oficial, sem o seu consentimento (ele não assinou o documento), da exoneração de Maurício Leite Valeixo do cargo de diretor-geral da Polícia Federal (PF).

Publicidade

Moro falou sobre o seu trabalho à frente do Ministério destacando a ação conjunta de sua equipe, e disse que não lhe foi apresentado um motivo por parte do presidente Jair Bolsonaro para a saída de Valeixo do cargo. Ele disse que conversou com Bolsonaro sobre a escolha de um novo nome com perfil técnico para a vaga na PF, se a saída de Valeixo fosse inevitável para o presidente da república. Porém, segundo Moro, não lhe foi dada uma resposta. “O presidente me disse que queria uma pessoa de confiança dele, que ele pudesse ligar, obter informações. E esse não é o papel da Polícia Federal. As investigações precisam ser preservadas”, disse. “A exoneração é sinal de que o presidente não me quer no cargo”.

O ex-ministro disse que deixa o ministério para preservar a própria biografia e para não contradizer o compromisso que assumiu com Bolsonaro sobre o combate à corrupção. “Tenho que preservar minha biografia, mas acima de tudo tenho que preservar o compromisso com o presidente de que seríamos firmes no combate à corrupção, a autonomia da PF contra interferências políticas”, declarou.

Publicidade

“Tem uma única condição que coloquei para o presidente para assumir o cargo. Eu não ia revelar, mas agora isso não faz sentido. Eu disse que, como estava saindo da magistratura, contribuí durante 22 anos para a Previdência, pedi que, se algo me acontecesse, que minha família não ficasse desamparada”, disse Moro.

 

Publicidade
Publicidade
Botão Voltar ao topo