Publicidade
Saúde

Microbiota muda com o envelhecimento

Projeções do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) indicam que os idosos serão 15% da população brasileira em 2034 e 25% em 2060. A longevidade tem sido possível graças aos melhores hábitos de vida e de alimentação, e ao maior acesso a serviços de saúde, medicamentos e tratamentos, mas também está intimamente relacionada à saúde intestinal do indivíduo, que pode ser refletida no envelhecimento saudável e na própria sobrevivência.

O cuidado com o intestino se tornou vital para a manutenção da saúde na medida em que estudos demonstraram a sua capacidade para a prevenção de enfermidades – por abrigar aproximadamente 70% das células imunológicas do organismo, além de diferentes microrganismos que interferem diretamente na saúde.

Dos 100 trilhões de microrganismos que compõem a microbiota – número 10 vezes maior que a quantidade de células humanas –, 70% estão concentrados no intestino. Com mais de 1000 espécies diferentes, esses seres microscópicos mantêm uma convivência harmoniosa no trato gastrointestinal.

No entanto, durante o processo de envelhecimento a microbiota também passa por várias alterações fisiológicas, assim como ocorre com as células, os tecidos e os órgãos do corpo humano, e essa população benéfica tende a diminuir e dar mais espaço aos microrganismos oportunistas, que podem causar sérios riscos à saúde.

Os idosos também apresentam um declínio natural de diversas funções do sistema digestivo como, por exemplo, alteração no peristaltismo – movimentos realizados pelos intestinos com objetivo de expelir o bolo fecal. Essas alterações naturais que ocorrem ao longo da vida podem levar à proliferação de bactérias patogênicas causando um desequilíbrio da microbiota intestinal, reduzindo a capacidade de absorção de nutrientes e, consequentemente, levando à carência de vitaminas.

“Além disso, essas alterações facilitam o surgimento de distúrbios do trato gastrointestinal, entre os quais a constipação”, explica Adrianne Machado, analista do Departamento de Ciências e Pesquisas da Yakult do Brasil.

Por todas essas razões, na terceira idade é importante manter um cuidado maior com a microbiota intestinal para evitar doenças, especialmente infecções, que geralmente ocorrem como consequência do declínio fisiológico e das respostas imunes.

Para ter um intestino sadio, entre outras ações, é importante ingerir alimentos que auxiliam a manter o equilíbrio da microbiota intestinal, como o probiótico Lactobacillus casei Shirota – exclusivo da Yakult –, presente nos leites fermentados da marca: Leite Fermentado Yakult, Yakult 40, Yakult 40 light e Sofyl.

“O Leite Fermentado Yakult 40 possui 40 bilhões do probiótico Lactobacillus casei Shirota, por isso, é indicado para adultos e idosos que, mesmo saudáveis, podem possuir mais bactérias patogênicas na microbiota intestinal”, orienta Adrianne Machado. Como os probióticos ingeridos são transitórios, a recomendação é consumi-los diariamente.

Doações

Para auxiliar a saúde dos idosos durante a pandemia de Covid-19, a Yakult fez inúmeras doações de leite fermentado para casas de repouso. Nos últimos meses, por exemplo, entidades localizadas em São Paulo (capital), Praia Grande (litoral de São Paulo) e Goiânia receberam aproximadamente 2 mil frascos de leite fermentado destinados aos idosos moradores destes locais. Neste ano, mais de 80 mil frascos também foram doados para hospitais em diferentes estados. Em 2020, a empresa doou mais de 650 mil frascos de Leite Fermentado Yakult para quase 50 hospitais de várias partes do Brasil.

Comprovações científicas

Inúmeras pesquisas já conseguiram demonstrar que a ingestão do probiótico Lactobacillus casei Shirota promove efeitos benéficos à saúde. Um desses estudos foi desenvolvido pelo Departamento de Imunologia da Faculdade de Medicina da Universidade de Juntendo, em Tóquio, no Japão, publicado no The Journal of Nutrition, em 2007, e demonstrou que o consumo regular do Lactobacillus casei Shirota influenciou de forma positiva a atividade das células do sistema imune em indivíduos de meia-idade e idosos (Effects of a fermented milk drink containing Lactobacillus casei strain Shirota on the human NK-Cell activity).

Outra pesquisa com idosos, publicada em 2011 no British Journal of Nutrition, também realizada no Japão, mostrou que o consumo contínuo de leite fermentado com o probiótico da Yakult pode contribuir positivamente para o alívio da gastroenterite causada pelo norovírus, graças ao restabelecimento do equilíbrio da microbiota (Effect of the continuous intake of probiotic-fermented milk containing Lactobacillus casei strain Shirota on fever in a mass outbreak of norovírus gastroenteritis and the faecal microflora in a health service facility for the aged).

Publicidade

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo