CanoasSaúde

Órteses produzidas em Hospital Universitário ajudam pacientes

Cola, tesoura, retalhos de E.V.A., espumas, tecidos, criatividade e amor pelo trabalho. Estes são os elementos que a terapeuta ocupacional do Hospital Universitário de Canoas (HU), Salete Weber, utiliza para criar órteses personalizadas. Os dispositivos, produzidos a partir da necessidade de cada paciente e da orientação de médicos e fisioterapeutas, têm refletido diretamente na recuperação de quem está internado ou que faz fisioterapia na instituição.

Um destes pacientes é o venezuelano Darwin Mogollon, 19 anos. A vida dele mudou literalmente da noite para o dia. Foi durante o sono que o jovem sofreu um grave Acidente Vascular Cerebral (AVC), que afetou parte do cérebro. Como resultado, 20 dias em coma, perda dos movimentos do lado direito do corpo, da fala e da memória. O trabalho com fisioterapeutas, aliado com as órteses feitas sob medida e a força de vontade do jovem, estão dando vida nova ao rapaz.

Com o auxílio da órtese para a mão, Darwin está conseguindo recuperar o posicionamento da mão direita e a movimentação, progresso que, como resultado, o ajuda a ter autonomia para escovar os dentes, por exemplo. Uma tarefa simples, mas que representa muito na recuperação e qualidade de vida do jovem. “Com a evolução do paciente, vamos substituindo os equipamentos e ajustando de acordo com a necessidade”, explica a terapeuta, ao mostrar para Darwin como está ficando sua nova órtese.

O fisioterapeuta Diego Oliveira lembra que, quando Darwin chegou para o tratamento, não tinha equilíbrio para ficar sentado nem autonomia para desempenhar as ações mais simples, como deitar e se sentar na cama. “Com esse trabalho conjunto entre fisioterapia e utilização das órteses, somados a garra e força de vontade dele, o Darwin já consegue sentar sozinho, está recuperando a força na perna e na mão e já consegue dar alguns passos sozinho.”

Sempre com um sorriso no olhar, o jovem imigrante, que veio para Canoas fugindo da crise do seu país, está em plena recuperação e não falta uma sessão. Com o sinal de positivo confirma o otimismo em seu progresso e o carinho e dedicação da equipe do HU. Sentimento que é compartilhado por sua mãe, Josmary Martinez. “Graças a Deus e as equipes médicas, está evoluindo muito bem. O Darwin é um milagre”, diz a mãe, que há seis meses veio da Venezuela para cuidar do filho.

Ela conta que o jovem melhorou muito com as terapias. “Ele não movia nada, apenas na cama. Não parava sentado, não caminhava. Hoje, já consegue caminhar, ter mais autonomia. Ainda não está falando, mas temos esperança que em breve também recupere a fala”, projeta emocionada.

Benefício para diferentes pacientes

As órteses confeccionadas por Salete beneficiam pacientes de diferentes setores do hospital. Na pediatria, por exemplo, são utilizadas por crianças que precisam corrigir a posição de pés e mãos. Já na UTI, auxiliam no posicionamento de cabeça e membros de pessoas acamadas por longos períodos.

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo