Destaque

PROTESTE alerta para venda de “falso” bacalhau

Na Semana Santa, o preço do bacalhau fica mais alto em todo o país. O que muitos consumidores não sabem, é que existem somente três espécies que podem ser chamadas de bacalhau e que com uma avaliação rápida, é possível economizar na hora de por o peixe na mesa e também se esquivar de enganações na hora da compra.
“Vender um peixe salgado, dizendo ser bacalhau, apesar das semelhanças, é sim configurado como violação à legislação e ao Código de Defesa do Consumidor e deve ser denunciado” afirma Henrique Lian, Diretor de Relações e Mídia da PROTESTE. Sabendo disso, a associação, separou algumas orientações que permitem ao consumidor reconhecer o alimento que está adquirindo.

TIPOS DE PEIXE SALGADO
Cod Gadus Morhua: Considerado o bacalhau mais nobre, possui a carne branca, macia, que desmancha em lascas com facilidade após cozido. Além disso, apresenta linha lateral bem perceptível e cauda toda escura. Ótimo para ser assado. É conhecido como o tradicional bacalhau do Porto.
Gadus Macrocephallus: Conhecido pela denominação de “Bacalhau do Pacífico”, sua carne é mais branca que a do Gadus Morhua e a linha lateral não é facilmente visível. É mais fibroso e também não desmancha em lascas tão perfeitas, sendo ideal para ensopados, recheios, assados e suflês.
Saithe: Apesar de não possuir uma carne tão clara, é macio e tem sabor forte. É perfeito para saladas, risotos e bolinhos, pois sua carne desfia com facilidade.
Ling: De um tipo fino e comprido, com preço mais em conta. Por ser mais resistente e demorar a se desfazer. É ideal para grelhados.
Zarbo: Possui um corpo alongado e, quando desfiado, as lascas são mais duras. Entre os demais tipos, é o mais simples e ideal para pratos desfiados, caldos, pirão e bolinhos. Os últimos três tipos podem ser chamados de “falsificação”, e devem ser vendidos apenas como peixe salgado “tipo bacalhau”, devido suas características.

Posts relacionados

Botão Voltar ao topo