Hospital de Porto Alegre celebra o Dia Mundial de Doação de Leite Humano

SMS, através do HMIPV/Banco de Leite, promove o chá das doadoras em alusão ao Dia Mundial de Doação de Leite Humano. Local: Refeitório HMIPV 1º andar Foto: Cristine Rochol/PMPA

Solidariedade é o que move a mãe do João, hoje com 7 meses, a ser doadora do Banco de Leite Humano do Hospital Materno Infantil Presidente Vargas. Assim como outras mães que amamentam, Gabriela Scharb, 30, quer fazer a diferença na recuperação dos bebês prematuros internados na UTI neonatal da instituição. Para divulgar a causa, a Secretaria Municipal de Saúde aproveita o Dia Mundial de Doação de Leite Humano, comemorado em 19 de maio. Nesta sexta-feira, 18, houve confraternização especial promovida pelo hospital, reunindo doadoras de leite materno e mães dos bebês beneficiados, como forma de agradecimento e homenagem.

O leite materno aumenta a imunidade, diminui o risco de doenças infecciosas e diarreias, atuando ainda no sistema cognitivo. Por isso, as doações são essenciais para manter a oferta aos bebês prematuros da UTI neonatal, crianças com risco extremo de vida e que lutam pela sobrevivência. Gabriela sabe disso e se empenha para separar o excedente, trazido ao Banco de Leite a cada dez dias. “Quando percebi que apenas um litro de leite pode alimentar dez bebês diariamente, vi o quanto posso ajudar”, afirma.

Como grande parte das mães no início da amamentação, Gabriela não produzia muito leite. Mas insistiu, e quando João tinha 4 meses, notou que era o momento de procurar o Banco de Leite. “O estímulo da coleta auxiliou na produção”, diz, satisfeita. Como trabalha em casa com aulas de francês e italiano, Gabriela consegue conciliar bem a rotina no cuidado com João, mas conta com a ajuda da irmã Camila e do marido Marcelo. “Quando a família se envolve, a amamentação fica mais tranquila, um momento de carinho, aconchego e doação”, comemora.

Como ser doadora – O Banco de Leite tem capacidade para processar até 100 litros de leite humano por mês, quantidade que seria suficiente para suprir as necessidades dos bebês prematuros internados na neonatologia. Mães que estão amamentando, com excesso diário de leite (no mínimo em torno de 50ml), clinicamente saudáveis e residentes em Porto Alegre podem ser doadoras. Basta entrar em contato com o Banco de Leite do Hospital Materno Infantil Presidente Vargas, que fica na avenida Independência, 661, esquina com rua Garibaldi, telefone 3289-3334.

Serão confirmados os critérios de doação – como exames de saúde e informações do pré-natal – e repassadas orientações iniciais para esgotar as mamas manualmente e armazenar o leite com segurança. Após preenchimento de cadastro, a equipe começa a buscar o leite direto na residência da doadora, momento em que poderá esclarecer dúvidas. O leite recebido passará por uma análise de qualidade, segurança e pasteurização e, só depois, será liberado ao consumo dos bebês.

Confia algumas informações importantes:

  • A produção do leite depende do esvaziamento da mama, por isso, quanto mais a mulher amamenta ou esvazia as mamas, mais leite ela produz.
  • Todo leite doado é analisado, pasteurizado e submetido a rigoroso controle de qualidade antes de ser ofertado a uma criança.
  • Um litro de leite materno doado pode alimentar até dez recém-nascidos por dia. Dependendo do peso do prematuro, 1ml já é o suficiente para nutri-lo cada vez em que ele for alimentado.
  • Bebês que estão internados e não podem ser amamentados pelas próprias mães têm a chance de receber os benefícios do leite materno com a doação. Com ele, a criança se desenvolve com saúde, tem mais chances de recuperação e fica protegida de infecções, diarreias e alergias.

Administrado pela Secretaria Municipal de Saúde de Porto Alegre, o Hospital Materno Infantil Presidente Vargas atende pelo Sistema Único de Saúde e é referência para todo o Estado em pré-natais de alto risco.

Banco de Leite do Hospital Materno Infantil Presidente Vargas
Avenida Independência, 661, esquina com rua Garibaldi, 6º andar – Porto Alegre
Telefone: 51 3289-3334
Após cadastro, a equipe busca o leite na residência da doadora, na Capital.