DestaqueNegócios

5 investimentos mais seguros para aplicação

Quem entra no mundo dos investimentos normalmente se depara com diversos tipos de aplicações, siglas, termos e condições, que é natural ficar um pouco confuso. No entanto, isso não pode ser um motivo para deixar seu patrimônio guardado sem se multiplicar.

A estranheza que o mercado financeiro causa pode passar a falsa impressão de que todos os investimentos passam por oscilações constantes e que, por isso, é fácil perder dinheiro. Mas trata-se de um mundo vasto e, dentro dele, existem diversos tipos de aplicação que, claro, podem variar com frequência, mas que também podem oferecer segurança, estabilidade e bons rendimentos.

O mais importante, como primeiro passo, é entender alguns pontos: o primeiro — e fundamental — é compreender que nenhum investimento é 100% livre de riscos. Ainda mais se considerarmos a mudança da visão acerca de riscos que se possui hoje, aplicações seguras não necessariamente serão invariáveis.

O segundo deles é associar a ideia de investir aos objetivos que se pretende conquistar e ao perfil. Existe uma subjetividade que comprova a premissa de que não há uma aplicação ideal para todas as pessoas; isto é, o que é vantajoso para um, pode ser a ruína de outro.

O terceiro e último é entender que há diversos fatores que fazem determinado ativo ser interessante. Na prática, é um grande erro levar em conta apenas um fator isolado: liquidez, prazos, aportes inicial e mensal, rendimentos líquidos e riscos são apenas alguns pontos que também precisam ser avaliados.

Com essas três considerações, é mais simples traçar um perfil detalhado para definir as aplicações com maior risco x retorno. Existem, no entanto, algumas que são bastante escolhidas por diversos investidores, seja como investimento principal ou como complementar para a carteira de ativos, a fim de trazer mais diversificação.

Certificado de Depósito Bancário

Considerada uma das aplicações mais rentáveis em relação à segurança, trata-se de um título emitido por instituições financeiras particulares. Na prática, elas utilizam esse método de captação para financiar as próprias atividades e, na data do vencimento, devolve o valor acrescido de juros.

Pode ser prefixado, ou seja, definido por uma porcentagem, ou pós-fixado, atrelado a um índice, como o IPCA ou CDI. A grande vantagem desse investimento é que ele possui cobertura do Fundo Garantidor de Crédito, isto é, em caso de calote — quando a instituição não cumpre com suas obrigações financeiras — o valor do investimento é devolvido.

Letras de Crédito — LCIs e LCAs

Uma aplicação de renda fixa, indicada principalmente para os investidores mais conservadores, as Letras de Crédito Imobiliário, LCI, e as Letras de Crédito do Agronegócio, LCA, são investimentos que se assemelham ao CDI, mas com a vantagem de ser isentas de IR. Tratam-se de Crédito para financiar projeto voltados para o agronegócio ou para o setor de imóveis.

Na prática, significa que, além de multiplicar seu patrimônio, ainda é possível investir em áreas essenciais para a economia do país. Ambas possuem a cobertura do FGV, o que oferece bastante segurança em caso do risco de crédito se concretizar. Recomenda-se, no entanto, que sempre se busque rentabilidade maior do que 95% do CDI para que os ativos realmente valham a pena.

Tesouro Direto

Considerado um dos maiores queridinhos entre os investimentos de renda fixa, o Tesouro Direto faz parte das aplicações destinadas pequenos investidores, tanto pela aplicação mínima ser bastante acessível, quanto pela facilidade de entendimento das condições.

Trata-se de um título público, emitido pelo Tesouro Nacional a fim de ajudar no financiamento de projetos do governo. Isso mostra bastante segurança com relação ao calote, sem ter inclusive, a necessidade da ação do FGC. Possui destaque por ter alta rentabilidade e baixo risco, tendo crescimento de mais de 60% no número de investidores desde o ano passado.

Debêntures

Esse nome bastante peculiar, que causa certo receio nos investidores menos experientes, é dado a títulos privados de crédito, que podem ser emitidos por diversas instituições. Como um financiamento de projetos parecido com os investimentos anteriores, mas aplicado a outros setores da economia do país.

Ganhou maior reconhecimento em 2017 e hoje é considerada uma das melhores aplicações em se tratando de risco x retorno; afinal, por ser emitida por instituições privadas, está sempre atrelada a um índice e há até algumas debêntures incentivadas que possuem isenção de Imposto de Renda, aumento ainda mais seus rendimentos.

Fundos de Investimento

Ainda que pareça complicado, existem algumas vantagens dos fundos que podem ser aplicadas a outros pouquíssimos investimentos, o que o torna uma opção interessante para diversos investidores, com diferentes níveis de experiência. O principal benefício é que este é administrado por um gestor profissional.

É ele quem garantirá que seus rendimentos, junto com os de outros cotistas, sejam maximizados. Os fundos são, na verdade, carteiras de ativos cuja composição depende da gestão do especialista; como resultado, é possível escolher fundos dos ativos mais vantajosos do mercado.

Por esse motivo, é possível garantir segurança e bons retornos. Apesar de não possuir a garantia do FGC, outro benefício é optar pelo fundo que mais tem a ver com seu perfil de investidor é objetivos.

Tags

Artigos relacionados

Optimization WordPress Plugins & Solutions by W3 EDGE

Adblock Detectado

Considere nos apoiar desabilitando o bloqueador de anúncios