ATUALRS

Sessões especiais marcam os 90 anos do Cine Theatro Capitólio

A Cinemateca Capitólio Petrobras (rua Demétrio Ribeiro, 1085, Centro Histórico) realiza de, 12 a 15 de outubro, uma série de sessões especiais para celebrar o aniversário dos 90 anos do Cine Theatro Capitólio. A partir de sábado, 13, a mostra Obras-Primas de 1928 exibe dez grandes filmes realizados no ano da abertura do Cine Theatro Capitólio. Neste sábado, 13, e domingo, 14, serão exibidos O Circo, de Charles Chaplin, O Homem das Novidades, de Buster Keaton e Edward Sedgwick, e Vento e Areia, de Victor Sjöström.

Sessão especial de Casanova – Nesta sexta-feira, 12, às 21h, exatamente 90 anos após estreia em Porto Alegre do filme que inaugurou o Cine Theatro Capitólio, em 12 de outubro de 1928, será exibida a produção francesa Casanova (1927), de Alexandre Volkoff, considerado um dos títulos mais ousados do cinema silencioso. Estrelado pelo célebre ator russo Ivan Mosjoukine, Casanova notabilizou-se como a primeira grande produção a levar para as telas a vida do conquistador Giacomo Casanova, tornando-se um dos grandes filmes eróticos do período silencioso. Entrada franca.

Novos Horizontes em debate
Neste sábado, 13, às 16h, a Cinemateca Capitólio Petrobras resgata o documentário em longa-metragem Novos Horizontes, realizado em 1934 por Ítalo Majeroni Leopoldis, um dos principais nomes da história do cinema gaúcho, responsável pelas produções da Leopoldis-Film e da Leopoldis-Som entre as décadas de 1920 e 1970. Após a sessão, a pesquisadora Alice Trusz conversa com o público. Agradecimento especial ao pesquisador Glênio Povoas e ao Museu do Trabalho. Entrada franca.

Pré-estreia de A Cidade dos Piratas
Também neste sábado, 13, às 20h, a Cinemateca Capitólio Petrobras realiza uma sessão de pré-estreia de A Cidade dos Piratas, novo longa-metragem de Otto Guerra, baseado na obra da cartunista Laerte. O diretor e a equipe do filme participam de debate após a sessão. O valor do ingresso é R$ 10, com meia-entrada para estudantes e idosos.

Sessão Comentada de Djon África
Na segunda-feira, 15, às 19h30, a Cinemateca Capitólio Petrobras e a Vitrine Filmes apresentam a sessão comentada do longa-metragem português Djon África, de João Miller Guerra e Filipa Reis, uma jornada de um homem em busca das origens em Cabo Verde. Após a sessão, o diretor Miller Guerra e o ator Miguel Moreira conversam com o público. O valor do ingresso é R$ 10, com meia-entrada para estudantes e idosos.

Premiados na Mostra Gaúcha do Festival de Gramado

No domingo, 14, a Cinemateca Capitólio Petrobras realiza duas sessões especiais com os filmes premiados na  Mostra Gaúcha de Curtas do Festival de Gramado. Às 18h, serão exibidos Grito, Mulher LTDANós Montanha e Sem Abrigo. Às 20h, Um Corpo Feminino, Fè Mye Tale, Abismo e A Formidável Fabriqueta de Sonhos Menina Betina. A sessão acontece em parceria com a APTC-RS. Integrantes das equipes dos filmes participam de um debate após as exibições. Todos pagam meia-entrada, no valor de R$ 5,00, nas duas sessões.

Os filmes  

Casanova – França, 1927, 131 minutos – Exibição Digital
Direção: Alexandre Volkoff
As aventuras eróticas de Casanova, o amante mais famoso do mundo.

Novos Horizontes – Brasil, 1934, 95 minutos – Exibição digital
Direção: Ítalo Majeroni Leopoldis
Aspectos de Porto Alegre. No Grande Hotel, um casal decide pegar um ônibus que sai nos fundos do Mercado Público. Parada em Sapucaia. Em São Leopoldo: Prefeito coronel Theodomiro Porto da Fonseca em seu gabinete de trabalho. A casa do primeiro colono. Hidráulica Municipal. Quartel do 8º BC. Edificações construídas pela firma Corrêa, Barreiros & Cia.. Clubes. Ginástica sueca. No morro do Ferrabraz, o mais velho sobrevivente da guerra dos Mukers. Visita a Novo Hamburgo. Em São Leopoldo, em 1º de maio de 1934, o interventor general Flores da Cunha chega para a inauguração da Exposição Agrícola, Industrial e Avícola.

A Cidade dos Piratas – Brasil, 2018, 85 minutos
Direção: Otto Guerra
Qual o sentido de fazer um longa-metragem sobre Piratas que navegam pelo Rio Tietê atrás de vítimas para saquear e torturar quando, entre a ideia de fazê-lo até a consumação do fato, passam-se décadas, o mundo entra no século 21 e o Brasil se vê diante de um enredo que supera qualquer ficção? Há um bom e grande motivo: o projeto escrito a partir desses personagens foi finalmente viabilizado. Em meio a isso, Laerte, o autor da história, assume sua troca de gênero, começa a renegar seus antigos personagens, os Piratas do Tietê, e a criar outras narrativas interessantes. O diretor do filme, perdido com essa nova realidade e decidido a ser fiel aos seus caprichos após se ver diante da morte, resolve contar seu drama misturando-se à trama, criando um caótico labirinto entre a ficção e a vida real.

Djon África – Portugal, Brasil e Cabo Verde, 2018, 96 minutos
Direção: João Miller Guerra e Filipa Reis
Miguel Moreira, também conhecido como Tibars e Djon África, descobre que a genética pode ser cruel quando sua fisionomia – bem como alguns de seus fortes traços de personalidade – o denunciam imediatamente como o filho de seu pai; Alguém que ele nunca conheceu. Esta descoberta intrigante leva-o a tentar descobrir quem é este homem. Tudo o que ele sabe sobre ele é o que sua avó, com quem ele sempre viveu, lhe contou.

Curtas
Um Corpo Feminino – Direção: Thais Fernandes / 20′
Quando nomeamos uma coisa, ela perde ou ganha sentido?

Sem Abrigo – Direção: Leonardo Remor / 20’
Em meio ao barulho das ruas, Valéria luta silenciosamente para sobreviver num frio inverno em Porto Alegre

Abismo – Direção: Lucas Reis / 12’
Jéssica recebe um áudio no telefone que relembra os pesadelos da noite passada

Nós Montanha – Direção: Gabriel Motta / 20’
Um sonho, um sinal, vindo de cima, atemporal

Mulher LTDA – Direção: Taísa Ennes / 10’10’’
Uma atrapalhada dupla de cientistas inventa um método revolucionário para trazer mulheres de volta à vida

Grito – Direção: Luiz Alberto Cassol / 4’58’’
Nem todo o grito sai da boca

Fè Mye Tale – Direção: Henrique Lahude / 20’03’’
Em 1791 uma cerimônia vodu marca o início da revolução negra que tornaria o Haiti o primeiro país independente da América e o primeiro a abolir a escravidão. Em 2016, Phenite emigra para o Brasil. Entre passado, sonhos e o frigorífico onde trabalha, ela tenta encontrar sua liberdade

A Formidável Fabriqueta de Sonhos Menina Betina – Direção: Tiago Ribeiro / 7’36”
Quando nasce uma criança, inaugura-se uma fábrica de sonhos que tende a fracassar com o tempo. Betina está sempre disposta a ressignificar seus combustíveis para manter seu alto nível de produção

Horários e sessões
12 a 15 de outubro

Sexta-feira, 12
14h – A Cruz dos Anos
16h – Nico 1988
20h – Das Cinzas Coração
21h – Casanova

Sábado, 13
14h – O Circo
16h – Novos Horizontes e debate
20h – A Cidade dos Piratas e debate

Domingo, 14
14h – O Homem das Novidades
16h – Vento e Areia
18h – Sessão Mostra Gaúcha (Grito, Mulher Ltda, Nós Montanha e Sem Abrigo) e debate
20h – Sessão Mostra Gaúcha (Um Corpo Feminino, Fè Mye Tale, Abismo e A Formidável Fabriqueta de Sonhos Menina Betina) e debate

Segunda-feira, 15
19h30 – Djon África e debate