ATUALDestaqueNegócios

Brasil e China assinam acordo de exportação para o mercado asiático

A Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil) e a China Entry-Exit Inspection and Quarantine Association (CIQA), assinaram nesta sexta-feira, dia 2 de novembro, um memorando de entendimento (MoU) para capacitação de empresas brasileiras com o objetivo de auxiliá-las a entrar no mercado chinês. O acordo, assinado durante seminário promovido pela Apex-Brasil em Xangai para debater questões de segurança alimentar, tem como foco inicial o setor de proteínas animais e vai promover trocas de experiências, realização de seminários internacionais, intercâmbio de equipes, e treinamento das empresas sobre a regulamentação para acesso de produtos do agronegócio ao mercado chinês.

Na esteira da crescente preocupação global com a segurança alimentar, como um dos principais produtores mundiais e o maior exportador líquido de alimentos, o Brasil dedica-se a manter um alto padrão de controle de segurança e se tornar o parceiro de confiança do mundo no agronegócio. Hoje, por exemplo, mais de 190 países dependem de produtos agroalimentares brasileiros.

De acordo com a diretora de negócios da Apex-Brasil, Marcia Nejaim, o objetivo do Brasil é consolidar a parceria estratégica e a posição de liderança que o agronegócio brasileiro já tem no mercado chinês, em especial expandindo a pauta exportadora. “Mesmo sendo o principal mercado, o comércio bilateral ainda está aquém do que poderia ser. Há oportunidades em diversos setores, como frutas, vinhos, cachaças, alimentos processados, cafés especiais, superfoods, entre outros”, avalia Márcia.

A diretora da Apex-Brasil acredita que para aumentar a pauta exportadora brasileira o empresário precisa entender como funciona a regulamentação do mercado chinês. “Por isso vamos assinar esse MoU. É uma forma de aprofundar o conhecimento a respeito das boas práticas e padrões de segurança exigidos pela China. Espero que essa discussão possa inspirar a contínua melhoria dos nossos sistemas de produção, gerando assim mais exportações para a China”, afirma.

Em seu discurso de abertura, o presidente da CIQA, Wang Xin, destacou a parceria entre Brasil e China, ressaltando que a assinatura do acordo com a Apex-Brasil é um passo fundamental entre os dois países para promoção de negócios, especialmente do agro.

O seminário “China-Brasil importação e exportação de segurança alimentar e seminário de intercâmbio padrão” reuniu em Xangai mais de 60 participantes de setores privados chineses e brasileiros e governamentais relacionados à segurança alimentar.

Participaram dos painéis especialistas em segurança dos alimentos, como o secretário de relações internacionais do agronegócio do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Odilson Luiz Ribeiro e Silva, a diretora geral adjunta da Divisão de Segurança Alimentar da Administração Geral de Alfandega, Yu Wenjun, o vice-diretor da divisão de alimentos da alfandega de Shanghai, Xiao Wenqing, entre outros.

Artigos relacionados