Mudar de carreira: quando, como e porquê

Embora o Brasil esteja em movimento de reaquecimento econômico e o balanço de outubro do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) indique redução de 11,9% na taxa de desemprego, ainda há muita insegurança. A dificuldade é real para quem está começando (jovens que estão saindo da faculdade) e também para aqueles que querem recomeçar, mudando de área radicalmente.

A consultoria de RH Luandre recomenda cautela aos que estão em dúvida sobre mudar de ramo no próximo ano: “2018 foi um ano de muitas mudanças e reaquecimento no mercado de trabalho. 2019, com as mudanças no governo, essas mudanças tendem a continuar, por isso é bom pensar bem antes de tomar qualquer decisão”. Carolina Silva, especialista de RH da empresa, dá algumas dicas preciosas para esse momento:

Transição gradual

Caso você não tenha nenhuma oferta fixa, o ideal é ir aos poucos. Definida a nova área em que deseja atuar, faça cursos, busque entender melhor como funciona esse “novo mundo” e esteja disponível para trabalhos menores, até que tenha mais experiência no assunto. “Use esse momento para absorver tudo o que puder”, aconselha a especialista.

Trabalhe o networking

Avaliar sua rede de contatos e reestruturá-la de acordo com sua nova área de atuação é importante para quem pretende se estabelecer em um novo segmento profissional. O LinkedIn é um ótimo aliado nesta tarefa, pois reúne diversos profissionais e permite a conexão com aqueles que tenham interesses em comum. “Outro caminho é participar de grupos da área desejada, no Facebook, Whatssap e ficar de olho em páginas do Instagram que apresentem conteúdo referente ao que procura”, diz Carolina.

Seja realista

Uma virada na carreira não é algo simples, exige planejamento e condições favoráveis. Seja prudente e avalie o impacto da mudança em sua situação financeira e pessoal. A especialista explica como: “mesmo que não tenha como investir numa mudança radical, não desista de seus objetivos, estabeleça metas, prazos e poupe o quanto puder para estar seguro quando, de fato, for realizar esta transição”.