DestaqueGeralPorto AlegreVariedades

Pátria Estrangeira/Fremde Heimat volta a cartaz no Porto Verão Alegre

Coprodução Brasil-Alemanha terá sessões no teatro do Goethe-Institut Porto Alegre

Após temporada de estreia no Brasil e na Alemanha em 2018, o espetáculo Pátria Estrangeira/Fremde Heimat volta a cartaz em Porto Alegre nos dias 1, 2 e 3 de fevereiro, integrando a programação do 20º Porto Verão Alegre. A montagem, uma coprodução da ATO cia.cênica, Primeira Fila Produções e Badisches Staatstheater Karlsruhe, teve financiamento pelo Kulturstiftung des Bundes em parceria com Goethe-Institut Porto Alegre e texto do autor Jürgen Berger.

A doc-ficção, que conta com a direção de Mirah Laline, aborda temas como imigração a partir de diálogos marcantes entre quatro atores e músicos brasileiros, com ascendência germânica, e um jovem ator alemão, radicado no Brasil. No elenco, Camila Falcão, Karin Salz Engel, Martina Frölich, Pascal Bergen e Philipe Philippsen trazem temas como ancestralidade, gerações, memória, pertencimento e imigração que permeiam questionamentos como: é possível viver duas culturas ao mesmo tempo? Seria Pátria um instrumento do colonialismo? Que semelhanças existem com a recente onda de imigração no Brasil e na Alemanha?

O sul do Brasil é conhecido por ser a região que recebeu grande parte dos imigrantes vindos da Alemanha. No século XIX chegaram ao Brasil colonos alemães que pela pobreza e falta de perspectiva econômica se refugiaram na região dos Pampas – as famílias receberam boas vindas com o propósito de colonizar a região e embranquecer a população. A partir de então, diversas ondas de imigração alemã se sucederam, desde os refugiados econômicos da crise de 1920, os perseguidos pelo Nazismo na segunda guerra até os próprios Nazistas que com o fim da guerra se esconderam na região. Em algumas famílias até hoje o dialeto alemão Hunsrückisch é falado. Atualmente, a Alemanha e o Brasil são países de destino da imigração causada pela pobreza. A Alemanha já foi um país de partida de imigrantes pobres. No projeto docuficcional, cinco atores com antecedentes migratórios partem em busca de sua “pátria estrangeira”.

As apresentações ocorrem sempre às 21h, com ingressos antecipados à venda pelo site do festival (portoveraoalegre.com.br), nos pontos de venda (Bourbon Shopping Wallig, Praia de Belas Shopping – 3° andar, DC Shopping, Casarão Verde – Loja 33 e chapelaria do Theatro São Pedro) ou no local do espetáculo, duas horas antes das sessões com valores entre R$ 24,00 e R$ 40,00. Para mais informações, acesse:
facebook.com/patriaestrangeirafrremdeheimat | Instagram @fremde.heimat

FICHA TÉCNICA

  • MIRAH LALINE | Pesquisa e Direção
  • JÜRGEN BERGER | Pesquisa e Texto*
  • PHILIPE PHILIPPSEN – CAMILA FALCÃO – MARTINA FRÖHLICH – KARIN SALZ ENGEL – PASCAL BERTEN | Elenco
  • MAURICIO CASIRAGHI | Vídeo e Projeções
  • DÉH DULLIUS | Figurinista
  • RODRIGO SHALAKO | Cenógrafo
  • RICARDO VIVIAN | Iluminação
  • LUCAS DALA-LANNA | Design Gráfico
  • JANAINA VIANNA | Assistência de Direção
  • PASCAL BERTEN | Tradução
  • JAN LINDERS| Diretor de Dramaturgia do Badisches Staatstheater Karlsruhe
  • VINICIUS MELLO | Produção Executiva
  • BRUNA PAULIN | Assessoria de Imprensa
  • DANIELA MAZZILLI E LETICIA VIEIRA | Coordenação de Produção
  • PRIMEIRA FILA PRODUÇÕES | Produção Brasil
  • ATO. Cia cênica | Coprodução Brasil
  • GOETHE INSTITUT PORTO ALEGRE | Coprodução Brasil
  • BADISCHES STAATSTHEATER KARLSRUHE | Produção Alemanha
  • KULTURSTIFTUNG DES BUNDES | Financiamento

* com a colaboração do elenco, direção e equipe criativa

Sinopse

Coração ambivalente

Atualmente a Alemanha e o Brasil são países de destino da imigração causada pela pobreza. A Alemanha já foi um país de partida de imigrantes pobres. No projeto docuficcional, cinco atores com antecedentes migratórios partem em busca de sua “pátria estrangeira”.

Os antepassados de Martina estão entre os primeiros emigrantes que, no início do século 19, emigraram da atual região da Renânia-Palatinado para o sul do Brasil. Ela vive em Porto Alegre e vive brigando com um coração ambivalente no seu peito. Uma alemã ela não é, mas é realmente brasileira?

Camila é tataraneta de uma família com influência afro-alemã. Sua tataravó teve uma relação com o filho de uma família de imigrantes alemães. O fato de que a tataravó alemã tenha desagregado a família do filho, acompanha Camila até hoje. Porém, no ano de 2018, uma brasileira descendente afro tem problemas mais urgentes.

Philipe é tataraneto de um patchwork brasileiro-indígena-judeu-europeu. Sua árvore genealógica poderia ser tema de um projeto de pesquisa. O brasileiro com os muitos corações no peito tem de viver com o fato de que, apesar de seus antepassados alemães, a cidadania alemã lhe é negada.

Karin viveu e trabalhou como pianista de concertos na Alemanha e na Suíça, mas apesar disso tinha a sensação de que seu coração batia em Porto Alegre. Após quatro anos de migração pela Europa central, ela se decidiu por retornar à sua pátria sul-brasileira. Ela chegou a um país profundamente dividido social e politicamente.

Thomas, do sul do Tirol, vive em Berlim e não pode requerer um passaporte alemão. Ele não necessita de um Ministério para saber que pátria é lá onde ele se sente em casa.

Pátria Estrangeira/Fremde Heimat no 20º Porto Verão Alegre

  • 1, 2 e 3 de fevereiro, 21h
  • Teatro do Goethe-Institut Porto Alegre – Rua 24 de Outubro, 112

Ingressos:

  • Antecipados:
  • Idoso R$ 24,00
  • Meia entrada R$ 24,00
  • Banricompras antecipado R$ 28,00
  • Inteira antecipada R$ 36,00
  • Inteira na bilheteria do espetáculo R$ 40,00
  • Ingressos à venda pelo site do festival, no local dos eventos a partir de duas horas antes do início dos espetáculos ou em nossos pontos de venda físicos:
  • Bourbon Shopping Wallig. Loja da Claro. 2º piso. Av. Assis Brasil, 2611. Segunda a sábado das 10h às 22h e domingo das 14h às 20h.
  • DC Shopping. Mezanino Produções. Casarão Verde. Rua Frederico Mentz, 1561. Segunda à sexta das 12h às 19h.
  • Shopping Praia de Belas. Loja da Claro. 2º piso. Av. Praia de Belas, 1181. Segunda a sábado, das 10h às 22h e domingo das 14h às 20h.
  • Theatro São Pedro. Chapelaria. Praça Mal. Deodoro, S/N. Terça a domingo até o dia 03 de fevereiro, das 15h às 21h.
  • Portadores do Clube do Assinante ZH e do Banricompras terão desconto válido para titular e acompanhante (dois ingressos por peça), mediante apresentação do cartão ou de comprovante pelo titular. O desconto para portadores do Clube do Assinante ZH, especificamente, poderão contar com este desconto somente nas compras realizadas de maneira presencial.
  • Estudantes, idosos e demais contemplados pela Lei Federal da Meia Entrada devem apresentar no momento da compra e no momento de entrada no espetáculo o comprovante determinado pela própria lei.
Etiquetas

Artigos relacionados

Fechar

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios