Geral

Festival Internacional de Cinema da Fronteira acontece em abril

Inscrições abertas para o evento que ocorrerá em Bagé (RS), Santana do Livramento (RS) e Rivera (Uruguai), de 23 a 27 de abril.

Estão abertas as inscrições de curtas e longas para o Festival Internacional de Cinema da Fronteira. O registro é gratuito e vai até o dia 14 de abril. O evento acontece nos dias 23 e 24 de abril nas cidades de Santana do Livramento e Rivera (Uruguai) e prossegue de 25 a 27 em Bagé.

Publicidade
Zoravia Bettiol e Roger Lerina, ao fundo – Foto: Ana Paula Ribeiro

O regulamento completo e o envio de obras estão disponíveis na plataforma Festhome pelo link goo.gl/ewt7hg. Além das mostras competitivas, o festival traz oficinas, debates e shows musicais. Esta edição apresenta um recorte temático intitulado “O Renascer do Patrimônio”. A realização é da Associação Pró Santa Thereza e Centro Histórico Vila de Santa Thereza, com financiamento do Sistema Pró-Cultura, da Secretaria de Estado da Cultura (Sedac-RS). A produção é da Anti Filmes, com apoio institucional da Urcamp, Unipampa e Udelar. O jornalista Roger Lerina assina a curadoria de longas-metragens. O evento tem direção artística de Zeca Brito e produção de Frederico Ruas e Maristela Ribeiro. Maiores informações no site fb.com/festivaldafronteira.

Foto: Leo Lage

O Festival da Fronteira apresenta três categorias competitivas. A primeira, a Mostra Competitiva Internacional de Longas-metragens recebe títulos com duração mínima de 50 minutos, realizados em regiões de fronteiras nacionais ou em países lusófonos e latino-americanos. Os filmes deverão ser falados em português ou espanhol, ou estarem legendados para um desses idiomas.

Para a Mostra Internacional de Curtas-metragens podem ser enviadas produções de qualquer nacionalidade de até 15 minutos. Já a Mostra Competitiva Regional é aberta a curtas com até 15 minutos, realizados na faixa de fronteira Brasil/Uruguai. O tema principal deste ano é o patrimônio histórico material e imaterial que será trabalhado através de oficinas que acontecem durante o mês de abril. “O evento quer lançar um olhar reflexivo sobre o seu local de origem, o Centro Histórico Vila de Santa Thereza, que há 20 anos passou por um processo de restauro que movimentou toda a comunidade de Bagé”, explica Zeca Brito. “O espaço passa agora por uma nova etapa de revitalização”, conclui.

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo
Fechar

Seu navegador está bloqueando os anúncios deste site.

Todo o conteúdo deste portal é 100% gratuito. Os anúncios que exibimos é a forma de manter este veículo de informação independente e comprometido somente com você leitor.