NegóciosSão Leopoldo

São Leopoldo: Volnei Garcia fala na ACIST-SL sobre os exemplos do Vale Silício

Criar soluções para os problemas do mundo; criar relacionamentos com pessoas que podem ajudar, independente do retorno financeiro; a presença constante dos empresários nas escolas, para detectar talentos; o desafio constante de buscar valor para o que se faz; e a valorização das pessoas que trabalham nas empresas. Estas são alguns dos aprendizados que o consultor da CEDEM – Consultoria e Educação Empresarial associada à Fundação Dom Cabral, Volnei Garcia, adquiriu durante uma viagem de aprendizado e que foram compartilhados durante o Momento do Empreendedor realizado pela ACIST-SL nesta quinta-feira (15).

Ele explicou que sentiu necessidade de conhecer os processos internos das empresas do Vale do Silício, localizado no estado da Califórnia para descobrir as motivações que motivas aquelas pessoas a desenvolveram plataformas que são mundialmente reconhecidas, como o Google, o Linkedin e o airbnb. “A maior parte questiona os grandes problemas do mundo e partem em busca das soluções. Para elas, a tecnologia é um meio e não um fim, como é o problema de locomoção, que gerou o uber”, exemplifica.

Publicidade

Quanto ao apreço pelos relacionamentos (networking), Garcia diz que este é um dos grandes segredos e muito utilizado. “Eles conversam com todos, em todos os lugares. E caso o contato tenha gerado qualquer benefício, mesmo não sendo esta a intenção, ele irá receber pelo resultado, como forma de reconhecimento”. Já nós, brasileiros, diz, somos desconfiados e muito fechados em relação a isto. “Por exemplo, sempre sentamos com que conhecemos, ao invés de interagir com desconhecidos”.

Outra lição que aprendeu foi com o criador da Content Tools: a rapidez e a simplicidade na hora de tomar decisões. A empresa pertence a um brasileiro de Santa Catarina, que desenvolveu uma ferramenta de marketing digital e reside uma parte do ano no Vale do Silício. “O empresário brasileiro leva muito tempo para definir seu foco e objetivos e muitas vezes perde o timming do negócio”.

A valorização das equipes de trabalho foi amplamente destacada por Garcia. “O Google, por exemplo, não demite ninguém porque acredita que quem errou na contratação foi ele. O funcionário recebe várias oportunidades para achar o seu espaço e geralmente sai por conta própria, se for o caso”. O feedback direto – olho no olho – é algo comum, sem rodeios e alicerçado em dados.

Publicidade

“Recomendo a visita dos empresários ao Vale do Silício com o objetivo de melhorar sua gestão. Tenho certeza de que, no retorno, mudanças muito importantes podem acontecer”, pontua.

Articuladores do Tecnosinos se encontram na ACIST-SL

Oldemar Brahm, Ronaldo Ribas e Luiz Antonio Velho

O Momento do Empreendedor realizado nesta quinta-feira (15), reuniu ainda três protagonistas do projeto que gerou o atual Parque Tecnológico de São Leopoldo. Estiveram na reunião-almoço o ex-prefeito de São Leopoldo, Ronaldo Ribas, que outubro de 1997 assinou a lei municipal que criou o Polo de Informática e Luiz Antonio Velho, que presidiu a ACIST-SL em 1999, quando o Polo de Informática foi efetivamente inaugurado. Na época, era formado por uma Unidade de Desenvolvimento Tecnológico (UNITEC) e uma área para a instalação de empresas que formariam o Parque Tecnológico. O atual presidente da ACIST-SL, Oldemar Brahm, foi um dos primeiros empresários a instalar-se no Parque, criando a Digistar Telecomunicações e presidiu a Associação do Polo de Informática.

Publicidade

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo
Fechar