DestaqueVale do Sinos

Horta do CAPS II auxilia pacientes em Sapucaia do Sul

Um espaço mal utilizado atrás da sede do Centro de Atenção Psicossocial CAPS II – Bem-estar, em Sapucaia do Sul, está ganhando vida. Onde havia mato e restos de galhos, hoje tem chás de diferentes tipos e muita alface, couve e temperos em geral. Trata-se da Horta do CAPS II, uma das oficinas terapêuticas existente no local que funciona como parte do tratamento dos pacientes.

O espaço começou a ser construído há três meses e a inauguração oficial está prevista para este mês de setembro, mas as oficinas já acontecem todas as quartas e sextas-feiras, das 8h às 10h. Cerca de dez pessoas participam. Durante os encontros, os participantes trabalham no tratamento do solo, plantio, limpeza, rega, colheita, entre outros trabalhos de manutenção da horta e do espaço ao redor.

Publicidade

A formatação do novo espaço iniciou com a construção do Relógio do Corpo Humano, uma horta construída no formato de relógio e dividida em 12 partes, cada hora correspondendo a uma planta medicinal indicada para uma parte do corpo. Já estão plantados no local tansagem, sálvia, manjericão, funcho, alecrim, cavalinha, violeta de jardim, alcachofra, tomilho, hortelã, bardana e mil em rama.

Já a horta conta com alface americana, alface roxa, salsa, couve, repolho, tomate, pimentão verde, morango, beterraba, rúcula, cebola, alho e pimenta dedo de moça. Alguns canteiros já estão prontos, outros estão sendo preparados e limpos. Tudo que é plantado é colhido pelos pacientes e levado para suas casas. Além do desenvolvimento da Oficina de Horta, o espaço também é utilizado para outras atividades do CAPS II, como rodas de conversas, meditação, yoga, entre outras, pelo contato com a natureza.

A enfermeira do CAPS II, Verônica Magalhães, afirma que a horta traz inúmeros benefícios para o tratamento dos pacientes. “A oficina trabalha bastante o resgate do contato com a terra, com a natureza e a proposta de uma alimentação mais saudável. Além disso, podemos observar também o senso de cooperação, o auxílio mútuo e o entendimento das limitações de cada um. Eles se sentem úteis, cuidando deste espaço, eles sentem que merecem ser cuidados”, diz Verônica. A criação de afetividade e fortalecimento de vínculos, entre eles e com a equipe do CAPS, também é destacada pela enfermeira.

Publicidade

A horta do CAPS II conta com o apoio das secretarias municipais de Desenvolvimento Social e Indústria, Comércio, Agricultura e Abastecimento. O suporte na manutenção e orientação técnica é do diretor de Agricultura da Prefeitura, Sergio Viero, e do técnico da Emater, Robson Pereira.

Etiquetas
Publicidade

Artigos relacionados

Fechar

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios