DestaqueRS

Pelotas mobilizada no Combate ao Aedes

De 18 a 23 de novembro, será realizada no município uma programação intensa com blitze educativas

De 18 a 23 de novembro, a Prefeitura, através do setor de Vigilância Ambiental em Saúde (Vigiams) da Secretaria de Saúde (SMS), promove a Semana Municipal de Mobilização de Combate ao Aedes, transmissor da dengue, chikungunya, zika vírus e febre amarela urbana. A ideia é incentivar a prevenção e evitar focos, que representam riscos – apenas em 2019, até junho foram identificados 102 focos.

Até o momento, os bairros em que foram encontrados mais focos são o Fragata e o Balneário dos Prazeres, com 54% dos registros. Em seguida, vêm as regiões do Centro (21%) e Porto (12%). Até agosto, o Laboratório de Vetores da Vigiams analisou mais de 40 mil larvas de culicídeos. Deste total, 1,4% era do mosquito Aedes.

Publicidade

Programação

Para marcar o início da Semana de conscientização, nesta segunda-feira (18) foi realizado um trabalho de limpeza no cemitério São Francisco de Paula, no Fragata. Nos próximos dias (veja abaixo), mais ações serão promovidas em diferentes pontos da cidade. Confira.

19 de novembro – Terça-feira
Manhã e tarde: atividade educativa com crianças das EMEIs Érico Veríssimo e Nestor Rodrigues

20 de novembro – Quarta-feira
Tarde: blitz educativa na rótula da avenida Domingos de Almeida, com a avenida São Francisco de Paula. Apoio da Secretaria de Trânsito e Transporte (STT)

Publicidade

21 de novembro – Quinta-feira
Manhã e tarde: ação educativa no Balneário dos Prazeres, com apoio do 9° Batalhão de Infantaria Motorizada.

22 de novembro – Sexta-feira
Manhã e tarde: ação educativa no Porto, Centro e Simões Lopes, com apoio do 9° Batalhão de Infantaria Motorizada.

23 de novembro – Sábado
Manhã e tarde: visitas de Li+T no Porto

Levantamento
No momento, a equipe da SMS realiza o Levantamento Rápido de Índice para Aedes (Lira), em amostragem do número total de imóveis de Pelotas. Segundo a chefe da Vigiams, a veterinária Isabel Madrid, este método permite obter indicadores entomológicos.

Como todo o Estado está em alerta devido ao grande número de municípios considerados infestados, o risco de entrada e perpetuação do Aedes é alto, fazendo crescer o risco de uma pessoa ser infectada em outra cidade e, ao retornar a Pelotas, contaminar o mosquito que poderá contaminar outra pessoa.

Apesar disso, até o momento não foram registrados casos autóctones de doenças transmitidas por Aedes em Pelotas.

“Estamos mobilizando todos os esforços da Vigilância para manter os bairros sem riscos e ocorrências, mas a população precisa fazer a sua parte”, explica Isabel.
Ela enfatiza que o apoio da comunidade é fundamental à prevenção, tendo em vista os potenciais criadouros do mosquito encontrados em residências e comércios.

Principais cuidados

Na primavera, as altas temperaturas e pancadas de chuva são combinação perfeita ao surgimento de criadouros do Aedes aegypti. As principais ações de prevenção estão focadas em medidas que visam impedir a proliferação do mosquito em recipientes encontrados comumente nas moradias.

  • Tampar caixas d’água, tonéis e latões
  • Guardar garrafas vazias viradas para baixo
  • Armazenar pneus sob abrigos
  • Não acumular água nos pratos de vasos de plantas, e enchê-los com areia
  • Limpar e escovar bebedouros de animais semanalmente
  • Evitar deixar qualquer objeto como brinquedos ao ar livre, pois podem juntar água da chuva
  • Manter desentupidos ralos, canos, calhas, toldos e marquises
  • Deixar as lixeiras sempre fechadas
  • Tratar, semanalmente, ralos e sanitários com pouco uso
  • Tratar piscinas com cloro continuamente, durante todo o ano.

Publicidade

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo
Fechar