DestaquePorto Alegre

Clínica geriátrica clandestina é interditada em Porto Alegre

Uma clínica geriátrica clandestina foi interditada cautelarmente na manhã desta quinta-feira, 12, durante a Operação Conjunta Dignidade, deflagrada pela Polícia Civil em parceria com as equipes de fiscalização da Prefeitura de Porto Alegre. Localizada no bairro Mário Quintana, na Zona Norte da cidade, a casa abrigava 13 idosos, incluindo-se pessoas com doenças psiquiátricas e deficiências físicas. Alguns dos pacientes ficavam acamados, e a Polícia Civil não encontrou cadeiras de rodas ou qualquer outro equipamento capaz de auxiliá-los na mobilidade. “A situação é grave, degradante. Estes idosos estavam abrigados aqui sem condições mínimas de alimentação ou de cuidados médicos”, explica a delegada de Proteção à Pessoa Idosa de Porto Alegre, Cristiane Pires Ramos.

Publicidade

A proprietária do estabelecimento foi presa em flagrante e responderá às acusações de abandono de incapaz e maus tratos. Segundo Cristiane, ela tem antecedentes de abusos contra idosos. Pelo menos cinco pacientes da casa eram curatelados pela proprietária – ou seja, tinham seus benefícios entregues diretamente a ela. “A proprietária também realizava empréstimos no nome de alguns destes idosos”, conta a delegada.

Agora, os agentes da Polícia Civil, em conjunto com os servidores da Fundação de Assistência Social e Cidadania (Fasc), farão um levantamento para localizar as famílias de origem de cada um dos idosos resgatados. Segundo Cristiane, os próprios familiares podem responder pelo crime de abandono.

Além dos policiais civis, a Operação Dignidade envolveu agentes da Guarda Municipal, Fundação de Assistência Social e Cidadania (Fasc) e das secretarias de Saúde (SMS), Desenvolvimento Social (SMDSE) e Desenvolvimento Econômico (SMDE). Uma equipe do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) também foi deslocada para prestar socorro aos pacientes. A mobilização da prefeitura se deu por meio de uma ação do Gabinete de Gestão Integrada do Município (GGIM).

“O GGIM é uma união de esforços entre Município, Estado e União. É neste ambiente que discutimos problemas da cidade com foco na segurança pública. O objetivo é gerar resultados efetivos e benefícios concretos para a população, não só no sentido de proteger os idosos, mas também de prevenir roubos, assaltos e outros crimes”, explica o adjunto da secretaria municipal de Segurança, Solon Beresford.

Posts relacionados

Botão Voltar ao topo