Região MetropolitanaRio Grande do Sul

Famílias que viviam na Vila Araçá completam um mês em novo residencial em Canoas

Moradores contam como a mudança melhorou suas vidas e falam sobre perspectivas

Já faz um mês que os ex-moradores da Vila Araçá tiveram sua vida transformada. O reassentamento que levou as famílias da área para o Residencial Pistoia I deu a elas a oportunidade de deixarem moradias insalubres e passarem a viver em um condomínio totalmente regularizado.

Publicidade

Obviamente, uma mudança tão grande requer um período de adaptação, e os moradores não estão sozinhos neste momento. A Prefeitura de Canoas, através da Secretaria Municipal de Desenvolvimento Urbano e Habitação (SMDUH), desenvolve um trabalho técnico-social com as famílias que foram para o residencial.

A SMDUH promove encontros com os moradores com base nos seguintes eixos: mobilização organizacional e fortalecimento social; educação ambiental e patrimonial; desenvolvimento socioeconômico e assessoria à gestão condominial. Os novos condôminos têm se mostrado receptivos à nova realidade e basta conversar com eles para que se entenda o quanto a mudança impactou em suas vidas e em seus planos.

Histórias de vida

Priscila Cardoso Alves Franco vivia há 4 anos na área ocupada, junto de seu marido e dos filhos. Ela revelou que tinha receio da mudança, já que estavam acostumados a ter pátio e trabalhavam com comércio na área da ocupação. No entanto, contou que ao chegarem no Pistoia I já perceberam que teriam condições de vida muito melhores e, passado um mês, já nem consideram voltar para a realidade de antes.

“É outra vida aqui, melhorou demais para nós e para as crianças, tem estrutura, é organizado e seguro. A gente quer montar nesse lugar mesmo a nossa vida, conseguimos ver aqui um futuro para nós e para os nossos filhos”, projetou Priscila.

Outra moradora que afirma estar muito feliz depois da mudança é a auxiliar de cozinha Fátima Rejane Koch. Moradora da ocupação há 8 anos, ela sequer acreditava que realmente haveria um reassentamento tão cedo e quando chegou a notícia de que finalmente aconteceria, admite que tomou um susto. “Foi muito rápido entre o dia que soubemos que a mudança ia mesmo acontecer e a data marcada para virmos pra cá. Claro que eu sabia que eram condições melhores, mas eu já estava acostumada lá, tinha minhas plantas, que são muitas, adoro folhagens”, contou.

Para a alegria de Fátima, não apenas foi possível alocar a maioria de suas folhagens dentro do apartamento, como elas se adaptaram ao ambiente. Além disso, muitos outros benefícios foram percebidos por ela no Pistoia I. “Eu morava numa casa que foi construída em cima de onde era antes o lixão da vila. Eu mandei tirar o lixo para construir minha casa e fiquei ali 8 anos, convivia com ratos diariamente. Aqui tem toda uma organização, com portaria, síndico e subsíndico. Os moradores se organizam para limpar o condomínio e, depois de um mês, eu estou feliz demais por ver as pessoas se ajudando para manter tudo aqui tão bonito”, avaliou Fátima.

O reassentamento

Em dezembro de 2019, a Caixa Econômica Federal (CEF) formalizou a assinatura de contrato de 300 apartamentos no Residencial Pistoia I, no bairro Rio Branco. Foram contempladas 157 famílias provenientes de áreas de invasão, 51 famílias cadastradas no banco de dados do Programa Minha Casa, Minha Vida de Canoas e 92 em situação de vulnerabilidade, que se cadastraram no programa de assistência Social da Prefeitura. As mudanças para as novas moradias começaram a ocorrer logo após a assinatura dos contratos.

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo
Fechar

Seu navegador está bloqueando os anúncios deste site.

Todo o conteúdo deste portal é 100% gratuito. Os anúncios que exibimos é a forma de manter este veículo de informação independente e comprometido somente com você leitor.