Região MetropolitanaRio Grande do SulVale do Sinos

Seguem obras nas escolas de educação infantil de Canoas

Mais de R$ 6,8 milhões são investidos em amplas reformas de oito EMEIs

Sem aulas presenciais desde março em virtude da pandemia do novo coronavírus, a Prefeitura de Canoas utiliza o período para intensificar as obras em oito Escolas Municipais de Educação Infantil (EMEIs) espalhadas pelo município. Mais de R$ 6,8 milhões são investidos no programa Canoas Mãos à Obra, transformando a realidade das comunidades escolares e deixando um legado de modernização, conforto e segurança às próximas gerações de canoenses. Os locais contemplados pela Secretaria Municipal da Educação (SME) possuem centenas de alunos e, até então, não recebiam soluções para a degradação de suas estruturas.

Publicidade

De acordo com a Diretoria de Infraestrutura da Secretaria Municipal de Educação (SME), as amplas reformas proporcionam as instalações de novas redes elétricas, hidrossanitárias e de gás, coberturas em estrutura metálica com isolamento térmico e pisos apropriados ao uso das crianças. As salas passam a contar com esquadrias que amplificam a ventilação e climatização dos ambientes, assim como um inovador sistema de iluminação para melhor desempenho lumínico. Todas estas melhorias somadas a um acabamento mais limpo e moderno para melhor utilização das comunidades.

Fotos: Pablo Reis

Dentre as oito obras em andamento, duas já passaram dos 90% da conclusão e recebem os últimos reparos. A EMEI Vó Babali, localizada na região central da cidade, recebe mais de R$ 1,2 milhão em reformas por todo prédio, que tem área de 961,4 m². Além das novas instalações elétricas, hidrossanitárias, substituição da cobertura e construção do muro, a escola passou a ter acessibilidade através da instalação de uma plataforma elevatória.

“Agora, a estrutura vem de encontro com a qualidade pedagógica instituída pelos profissionais que ali atuam. Nem nos melhores sonhos conseguiríamos vislumbrar um espaço tão lindo e otimizado para atender nossas crianças”, declara a diretora da escola, Geise Rúbia de Souza, em entrevista. A Vó Babali completou trinta anos no dia 28 de junho e, segundo a educadora, nunca havia recebido melhoria estrutural. Orgulhosa ao ver a concretização de um desejo antigo da comunidade escolar, ela mantém contato com o engenheiro responsável para acompanhar a execução da obra.

Outra reforma avançada pertence à EMEI Beija-Flor, no bairro Niterói, que teve seu tamanho ampliado em 35,8% ao passar de 237,6 m² para 322,7 m². Na revitalização da escola, troca das instalações elétricas, hidráulicas e cobertura, são investidos mais de 637 mil reais. O espaço será composto, ainda, por salas novas, refeitório, depósito de material de limpeza, lavanderia, banheiros, vestiário para funcionários e pátio com playground.

A gestora da escola, Mara Regina de Lima, se sente realizada ao visualizar, respeitando os protocolos da saúde, a reta final da obra. “A Beija-Flor sempre fez um belíssimo trabalho com a comunidade e, agora, com o olhar da administração municipal, ganhamos mais qualidade e conforto para que nossas crianças se desenvolvam, brinquem e interajam com colegas, professores, funcionários e familiares”, comenta.

Também seguem em obras as EMEIs Tia Lourdes e Pé de Moleque, no bairro Estância Velha; Carinha de Anjo, no Fátima; Cara Melada, no Guajuviras; Bem-Me-Quer, no São José; e Tia Maria Lúcia, no Niterói.

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo
Fechar

Seu navegador está bloqueando os anúncios deste site.

Todo o conteúdo deste portal é 100% gratuito. Os anúncios que exibimos é a forma de manter este veículo de informação independente e comprometido somente com você leitor.