Pelotas

Pelotas arrecada quase 3 toneladas de alimentos durante vacinação

Cerca de 60 servidores da Assistência Social do Município participam da ação realizada nos pontos de vacinação contra a Covid-19 em Pelotas

Há dez dias, quem vai receber a vacina contra a Covid-19, em Pelotas, também tem a oportunidade de praticar um gesto solidário – doar alimentos e produtos de higiene. A campanha da Prefeitura, voltada para pessoas consideradas em vulnerabilidade social, atingidas pela pandemia, já arrecadou 2.952 toneladas de alimentos e prossegue ativa nos pontos de vacinação: no drive-thru do Centro de Eventos da Fenadoce e nas escolas localizadas nos bairros no Município. Além da adesão do público, a iniciativa tem obtido bons resultados graças ao trabalho dos servidores da Secretaria de Assistência Social (SAS).

Do total arrecadado e encaminhado à Assistência Social do Município, 2.430 toneladas, ou seja, 240 cestas básicas montadas com os donativos foram entregues até agora à população. Além de alimentos, também já foram arrecadados 139 itens de limpeza.

Publicidade

De acordo com o secretário José Olavo Passos, a campanha chegou em um momento oportuno, já que houve um aumento de 168%, se comparado ao ano passado, na procura pelas cestas básicas distribuídas pela Prefeitura. Entre o início do ano até o dia 7 de abril, o Município entregou 6,7 mil cestas de alimentos. No mesmo período, em 2020, foram de 2,5 mil cestas.

“A campanha é excelente e vai nos ajudar muito, porque as cestas adquiridas pelo Município, no fim do ano passado, já têm previsão de término em junho. As doações realizadas são organizadas em cestas e distribuídas conforme a procura pelos Cras, Creas e Plantão Social”, explica o gestor da pasta.
Ação dos servidores
Cerca de 60 servidores da SAS estão se revezando nos locais de arrecadação para receber as doações levadas pelos idosos que vão à vacinação. Uma escala de trabalho, entre os que se propõem a participar, foi montada para que todos possam ajudar na ação solidária. Além de receber os donativos, a equipe também é responsável pela separação do que foi arrecadado e pela montagem das sacolas que serão distribuídas à comunidade.

Para a educadora social , integrante do setor de Proteção Básica da SAS, Viviane Sicca, participar da arrecadação de alimentos significa “compartilhar solidariedade”.

Publicidade

“Eu acho muito importante poder participar dessa arrecadação. Saber que esses alimentos chegarão à mesa daquelas pessoas que mais precisam é muito gratificante”, revela Viviane.
A diretora do Departamento de Estrutura Funcional da SAS, Manoela Rodrigues, explica que, após as etapas de recebimento, classificação e montagem das cestas, a “corrente do bem” ainda conta com o trabalho das assistentes sociais do Plantão Social que verificam a situação vivida pela pessoa que se candidata à cesta para, então, o kit de alimentos ser entregue.

“Para mim é, verdadeiramente, um prazer participar dessa ação, sobretudo pela importância dela para a nossa comunidade. Com o agravamento da pandemia na cidade, nós da SAS notamos um aumento significativo na procura da população pelos nossos serviços, principalmente no setor responsável pelo fornecimento de cestas básicas”, diz Manoela

O que é mais necessário

As cestas básicas distribuídas pela Prefeitura são compostas, essencialmente, por alimentos não-perecíveis: 2 quilos de arroz, 2 de feijão, 2 litros de leite, 2 quilos de farinha, 1 litro de óleo, 2 quilos de massa. Mas, o leite é um dos produtos com maior escassez. Por isso, a Secretaria pede àqueles que irão se imunizar contra a Covid que priorizem a doação desse gênero.

A Assistência Social também solicita doações de produtos de higiene e limpeza, como sabonete, creme dental e papel higiênico.

Publicidade

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo