Santa CatarinaVariedades

A vida e obra da arqueóloga lituana Marija Gimbutas entra em cartaz na Mostra de Filmes Mulher Madura

Pesquisadora comprovou a existência de sociedades ginocêntricas, que viveram na Europa Antiga no período Neolítico com base na agricultura, tecelagem, cerâmica e pastoreio. Centradas em figuras femininas e sem rastros de guerra ou armas, arqueóloga revelou um outro paradigma possível da vida em sociedade. O evento virtual e gratuito, marcado para este sábado (05), das 17h às 19h, é uma iniciativa do Curso Cuidado Integral da Mulher Madura (CIMM)

Publicidade

Quem foi a arqueóloga Marija Gimbutas? Nascida na Lituânia em 1921, seu nome atravessou o tempo por meio do importante legado deixado. Uma pesquisa farta sobre as culturas do período Neolítico e da Idade do Bronze, na Europa Antiga, e a religião da Deusa Mãe.

O acervo é formado por mais de vinte livros, entre eles vale destacar “The Civilization of the Goddess” (A Civilização da Deusa), que pontua as diferenças entre o antigo sistema europeu. Segundo Marija centralizado na Deusa mãe e na mulher (ginocêntrica) e o modelo Indo-Europeu patriarcal (androcentrismo). As sociedades chamadas de ginocêntricas eram pacíficas, acolhiam homossexuais e tinham igualdade econômica. Já o molde dominado por homens impôs a hierarquia dos guerreiros e das lutas.

Publicidade

“Marija Gimbutas modificou a perspectiva sobre a história das civilizações. Ainda assim, seu trabalho é pouco reconhecido e quase nada transformou os modos com os quais contamos a narrativa civilizatória ocidental, que retrata e fomenta guerra após guerra, disputa após disputa. Quando conheci seu trabalho, todas as minhas perspectivas de mundo se modificaram e meus esforços, hoje, são para que trabalhos como o dela, que releem a humanidade, sejam protagonizados para que possamos reimaginar novas possibilidades de construção de tecidos sociais. Estamos vivenciando uma transição histórica importante, e precisamos de exemplos que nos inspirem. Marija nos oferece esta inspiração”, conta a curadora da Mostra de Filmes Mulher Madura CIMM, Adriana Mira-Cunhã.

A exibição do longa-metragem “Vida e obra de Marija Gimbutas” será neste sábado, dia 05 de junho, das 17h às 19h, na plataforma ZOOM. As inscrições são gratuitas e limitadas e devem ser feitas no link http://bit.ly/IMostraMulherMaduraCIMM. O projeto é uma extensão do Curso de pós-graduação e aperfeiçoamento “Cuidado Integral da Mulher Madura” (CIMM), e terá periodicidade mensal. A conversa é voltada para mulheres maduras e todas as pessoas que desejam compreender o processo de amadurecimento da mulher diante os preconceitos enraizados na sociedade contemporânea.

“A mostra tem a função de criar uma ponte entre os conteúdos trabalhados nos ovulários – denominação da grade curricular do curso – e a comunidade de interesse nas questões das mulheres maduras.Não se trata “apenas” de exibição de filmes, mas um encontro de pessoas que têm interesse comum em partilhar conhecimento. O filme é uma mídia que fomenta e encaminha diálogos. A mostra é mais uma proposição de escavação do que de exposição, entende? Também será uma bela oportunidade para as aprendizes da formação praticarem a sustentação de rodas de conversas, com apoio da coordenação do CIMM”, explica Adriana, uma das porta-vozes do CIMM.

SERVIÇO
O que: Mostra de Filmes Mulher Madura CIMM
Quando: 05 de junho
Horário: das 17h às 19h
Plataforma: Zoom
Inscrições gratuitas pelo link, acesso por ordem de chegada.
http://bit.ly/IMostraMulherMaduraCIMM

Publicidade
Publicidade
Botão Voltar ao topo