Brasil

Acibalc quer urgência na execução do Parque Inundável Multiuso do Rio Camboriú

A Acibalc, Associação Empresarial de Balneário Camboriú e Camboriú , emitiu nota oficial sobre as chuvas que causaram estragos em Camboriú na última quarta-feira e a necessidade da implementação do Parque Inundável.
Confira a nota:

NOTA OFICIAL – Acibalc

Diante dos problemas ocasionados em Camboriú em razão das fortes chuvas da madrugada de quarta-feira, dia 9, a Associação Empresarial de Balneário Camboriú e Camboriú – ACIBALC, representada por sua diretoria, vem a público se solidarizar com os atingidos e manifestar a urgência na execução do Parque Inundável Multiuso do Rio Camboriú.

Somente neste episódio, segundo a prefeitura de Camboriú, mais de 500 pessoas foram atingidas de alguma forma pelos alagamentos, cerca de 200 pessoas tiveram que deixar suas casas e 30 foram acolhidas em abrigo. Sem contar os prejuízos aos cofres públicos, que certamente deixarão de atender outras demandas sociais importantes para destinar recursos à superação dos danos.

Projeto executivo do parque inundável – Fonte: Engeplus

Vale lembrar que nossa Bacia Hidrográfica oscila entre os problemas de excesso e de escassez de água justamente porque não tem hoje nenhum espaço para reserva de água bruta. O parque cumprirá exatamente este papel: em situações de excesso como a desta quarta-feira, guardará esta água para suprir os momentos de escassez, evitando desta forma que a alta do rio alague os bairros ribeirinhos das duas cidades e possibilitando que esta água reservada seja utilizada quando houver aumento de demanda, especialmente na temporada de verão.

É intrigante pensar que o Parque Inundável, que já foi apresentado pelo Comitê do Rio Camboriú há mais de 10 anos, ainda não virou realidade. O projeto já foi validado e confirmado por especialistas na área como a solução mais viável para nossa segurança hídrica e, mesmo assim, com a solução exposta, seguimos colecionando prejuízos e vivendo tensões em relação às cheias e às faltas de água.

Reconhecemos os esforços da Emasa, que elaborou o projeto executivo do parque e da prefeitura de Camboriú, que decretou a área de utilidade pública, mas reforçamos a urgência de implementação desta obra, com a imediata desapropriação das terras para garantir que não percamos a oportunidade de garantir este parque tão essencial para a vida, para a saúde e para o desenvolvimento econômico das duas cidades.

Héderson Cassimiro
Presidente da Acibalc

Publicidade

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo