Porto AlegreVariedades

OSPA homenageia 100 anos de Piazzolla neste sábado

A Orquestra Sinfônica de Porto Alegre (OSPA), instituição da Secretaria de Estado da Cultura (Sedac), presta homenagem ao centenário de Astor Piazzolla no concerto do próximo sábado (3).

No repertório variado, tem espaço também para uma peça de J.C. Bach, com solo do violoncelista Rafael Honório Sobrinho, e uma obra inédita de Arthur Barbosa, que será o regente da apresentação. O evento é sábado, às 17h, com transmissão ao vivo pelo YouTube e público presencial limitado a 15% da capacidade da Sala de Concertos da Casa da OSPA. O ingresso pode ser trocado por 1kg de alimento não perecível (mais detalhes no serviço).

O concerto contempla sete obras curtas para cordas, começando por duas peças do repertório clássico: “Sinfonietta”, de Harald Genzmer (1909 – 2007), e “Concerto para violoncelo e orquestra em Dó menor, CWYC98”, de Johann Christian Bach (1735 – 1782). A autoria da última obra, atribuída ao filho do famoso Johann Sebastian Bach (1685 – 1750), é motivo de debate entre especialistas. Nesta peça, Rafael Honório Sobrinho se une à orquestra para um solo de violoncelo. Será a primeira vez do músico como solista à frente da OSPA. Em 2019, Rafael venceu o Concurso para Jovens Solistas do Conservatório de Música da OSPA, que garantiu essa oportunidade ao primeiro lugar.

Em seguida, a OSPA executa três peças de Piazzolla (1921 – 1992), com arranjos de Arthur Barbosa para orquestra de cordas (as obras do argentino geralmente são compostas para quarteto de violino, piano, bandoneon e contrabaixo): “Introducción al Angel”, “Ave Maria” e “Melancólico Buenos Aires”.

Trata-se de um recorte de obras introspectivas, melancólicas e menos conhecidas pelo grande público, segundo Barbosa, que é regente da OSPA Jovem e diretor artístico e regente titular da Orquestra Eleazar de Carvalho, em Fortaleza (CE). “Piazzolla é o pai do tango novo, ele internacionalizou e mudou a cara do tango assim como Tom Jobim fez com a música brasileira”, comenta o arranjador, compositor e regente.

O concerto termina com duas obras do próprio Barbosa: “Incluí a minha primeira obra estreada em Porto Alegre, ‘Toada e Desafio’, em 1997, pela Orquestra da Ulbra, e a mais recente, ‘Choro Breve’, um chorinho simples que faz parte de uma obra maior e eu transformei em um Divertimento, por assim dizer”.

Quinto concerto da Série Casa da OSPA – Temporada 2021 – De Bach a Piazzolla

  • Quando: 3 de julho de 2021, às 17h. Abertura das portas: 16h (o acesso não é permitido após o início do concerto)
  • Onde: Casa da Ospa (Centro Administrativo Fernando Ferrari (CAFF) – Av. Borges de Medeiros, 1.501 – Praia de Belas)
  • Ingresso: 1 kg de alimento não perecível.
Publicidade

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo