Porto AlegreVariedades

Concerto da OSPA traz solo de bandolim e ritmos brasileiros

No próximo concerto da Orquestra Sinfônica de Porto Alegre (OSPA), que acontece no sábado (31), o jovem maestro convidado Anderson Alves conduz a orquestra, que interpreta uma obra de sua autoria, além de peças de Mozart, Milhaud e Gnattali. Daniel Migliavacca será o solista convidado do dia. A OSPA se apresenta todos os sábados, às 17h, na Casa da OSPA, com transmissão ao vivo pelo YouTube.

Neste concerto, intitulado “Saudades do Brasil”, o público será limitado a 200 pessoas, menos de 20% da capacidade da Sala de Concertos (1,1 mil lugares). O ingresso pode ser trocado por 1kg de alimento não perecível.

O concerto toma o título emprestado da suíte de dança “Saudades do Brasil”, do compositor francês Darius Milhaud (1892 – 1974). Milhaud viveu no Brasil por dois anos e, ao partir, levou discos e lembranças. Já na França, expressou sua saudade do país compondo essa suíte com ritmos brasileiros e movimentos batizados de locais famosos, como Corcovado e Copacabana.

A síntese entre música popular brasileira e erudita também será ouvida em “Concerto para bandolim e orquestra de cordas”, composto em 1985 pelo consagrado compositor Radamés Gnattali (1906-1988).

O bandolinista paulistano Daniel Migliavacca vem de Curitiba, onde vive, especialmente para interpretar a obra. Segundo ele, é uma referência dentro da história do bandolim no Brasil.

Além de reger a OSPA, o maestro Anderson Alves é o autor da última obra do programa: “Fantasia para Orquestra Sinfônica”. Ele conta que estreou o trabalho em 2013, com a Orquestra Sinfônica Nacional (UFF): “A peça reúne trechos de várias composições minhas e é bem virtuosística para a percussão, destaca solos de marimba e tímpano”.

No programa, também há espaço para um grande clássico: a 31ª Sinfonia de Wolfgang Amadeus Mozart (1756 – 1791), conhecida também como “Paris”, o local onde a sinfonia estreou em 1778. Na época, o compositor austríaco tinha apenas 22 anos e tentava divulgar seu trabalho na capital francesa, onde a peça foi muito bem recebida.

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo