Brasil

Enquanto espera novas máscaras, Pelotas retoma aulas remotas na segunda-feira

Em Pelotas, a volta do recesso escolar para o segundo semestre letivo de 2021 da rede municipal ocorre ainda de forma remota. De acordo com o planejamento da Secretaria de Educação e Desporto (Smed), as atividades do modelo híbrido, mesclando aulas a distância e também presenciais, estão previstas para iniciar em agosto.

Máscaras

Conforme a titular da Smed, Adriane Silveira, a programação do retorno dos alunos para as salas de aula estava pronta para ocorrer neste segundo semestre. Entretanto, a atualização da nota informativa do Centro Estadual de Vigilância em Saúde da Secretaria Estadual da Saúde (SES), publicada em junho de 2021, bem como a Notificação Recomendatória nº 3433.2021 do Ministério Público do Trabalho, orientando a nova especificação de máscaras para o retorno das aulas no sistema híbrido em Pelotas, levaram a Secretaria a mudar os planos. O Município teve de abrir um novo processo de licitação, que está em andamento, para a aquisição de 250 mil máscaras dos tipos PFF2 e N95.

“Já tínhamos adquirido máscaras de tecido para professores e servidores, mas, para atender às novas orientações, encaminhamos o processo de aquisição dos novos modelos de máscaras. Nesse contexto, iniciaremos o segundo semestre letivo no dia 2 de agosto no sistema remoto, enquanto aguardamos a chegada dos novos modelos para todos os trabalhadores da Educação. É importante ressaltar que, embora não seja obrigatória a distribuição pelo Município, os alunos da rede municipal de ensino receberão máscaras de tecido. Tão logo cheguem os materiais, iniciaremos no sistema de ensino híbrido”, apontou Adriane.

Como vai funcionar o sistema híbrido
Os pais e responsáveis pelos alunos já optaram pela permanência do seu filho no sistema remoto ou aderiram ao híbrido, retornando ao convívio escolar. A escolha pode ser alterada a qualquer momento, encaminhando nova declaração.

O ensino-aprendizagem será desenvolvido prevendo metodologias ativas, em especial, a “sala de aula invertida”, de maneira que o aluno frequentará a escola em uma semana e, na seguinte, fará as atividades em casa, permitindo o revezamento e o atendimento escalonado dos estudantes de acordo com os protocolos e medidas sanitárias.

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo

By continuing to use the site, you agree to the use of cookies. Mais informações

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Fechar