Porto AlegreVariedades

OSPA celebra a música espanhola e Beethoven com pianista Eduardo Monteiro

O concerto “Viva a Espanha” celebra os ritmos típicos do país ibérico no dia 7 de agosto, na Casa da Orquestra Sinfônica de Porto Alegre (OSPA), instituição da Secretaria de Estado da Cultura (Sedac). Dentro desta temática, a orquestra executa “Capricho Espanhol”, de Rimsky-Korsakov, e “El Sombrero de Tres Picos”, de De Falla. Um dos grandes nomes do piano no Brasil, Eduardo Monteiro é o solista convidado da tarde para interpretar o “Concerto nº 4 para piano e orquestra”, de Beethoven.

A apresentação, com regência do diretor artístico da OSPA Evandro Matté, é neste sábado, às 17h, na Casa da OSPA, com transmissão ao vivo pelo YouTube. A Sala de Concertos vai operar com público de até 300 pessoas (a capacidade total é de 1,1 mil). O ingresso pode ser trocado por 1kg de alimento não perecível (detalhes no serviço abaixo).

Um expoente do piano no Brasil, o carioca Eduardo Monteiro acumula prêmios importantes e experiência como solista para renomadas orquestras do Brasil e do exterior. Atualmente é também vice-diretor da Escola de Comunicações e Artes da USP. Neste sábado, ele se junta à OSPA para interpretar “Concerto nº 4 para piano e orquestra em Sol maior, op. 58”, de Ludwig van Beethoven (1770-1827). Como de costume, Beethoven escreveu o concerto para que ele próprio o executasse, como solista.

A obra foi a última que o compositor pode tocar junto a uma orquestra, devido à sua progressiva surdez. Para Monteiro, é um trabalho brilhante: “A perfeita simbiose do piano com a orquestra faz com que a obra pareça uma sinfonia. O otimismo do 1º e 3º movimento contrasta com a densidade e introspecção do 2º, de grande poesia”, comenta o convidado.

Em seguida, a OSPA traz um dos principais balés de Manuel de Falla (1876 – 1946), “El Sombrero de Tres Picos” (O Chapéu de Três Pontas). Conhecido por aliar música de concerto aos motivos típicos de seu país, o compositor criou esse balé com toques cômicos. Baseado na farsa popular do escritor Pedro de Alarcón, narra as desventuras de um corregedor (o homem do sombrero), que cobiça a bela mulher de um moleiro. A estreia foi em Londres, em julho de 1919, com cenários e figurinos de ninguém menos do que o artista plástico Pablo Picasso.

Ainda dentro da temática espanhola, a OSPA apresenta “Capricho Espanhol”, obra vibrante composta em 1887 por Nikolai Rimsky-Korsakov (1844-1908). O compositor russo criou uma suíte orquestral com cinco movimentos interligados, baseados em melodias folclóricas espanholas. Foi um sucesso desde a estreia, em 17 de dezembro, sob a regência do compositor, no quinto concerto da série Concertos Sinfônicos Russos, mantida pelo mecenas Mitrofan Belyayev.

Publicidade
Botão Voltar ao topo