Região Metropolitana

Gravataí terá a passagem de ônibus mais barata da região Metropolitana

O prefeito de Gravataí, Luiz Zaffalon (MDB), anunciou nesta quarta-feira (29/12) a implementação do programa PROCOLETIVO (Programa Municipal de Reestruturação e Qualificação do Sistema de Transporte Coletivo Urbano de Passageiros), que prevê a redução do valor da passagem dos ônibus urbanos (os branquinhos) de R$ 4,80 para R$ 3,75, a mais baixa entre todos os municípios da região Metropolitana. A iniciativa torna o município  de Gravataí protagonista na ação de incentivar o uso do transporte público coletivo. A nova tarifa passará a vigorar a partir da 0h do próximo sábado (01/01).

Publicidade

A mudança significa uma redução de mais de 20% no valor da passagem e ajuda a equacionar um dos grandes dilemas enfrentados hoje pela maioria dos municípios localizados em grandes centros urbanos, referente ao transporte coletivo. O prefeito de Gravataí destacou que, ao mesmo tempo em que é anunciada uma solução, ampliando o acesso e reduzindo o custo à população, não será necessário retirar recursos de nenhuma outra área. Zaffalon ressaltou que quanto mais pessoas usarem, mais o sistema irá evoluir e, com isso, a tarifa poderá ser mantida ou até reduzida no futuro.

“Esse é um tema que tem mobilizado prefeitos em todo o país, uma vez que trata-se de um serviço público e essencial. A solução encontrada em Gravataí vai beneficiar não apenas os usuários do sistema de transporte com a redução da passagem e com melhorias na qualidade do serviço, mas também os empregadores, desonerando a folha e garantindo mais competitividade ao município na atração de novos investimentos e na geração de empregos. Um círculo virtuoso que estamos gerando a partir do plano anunciado. Agradeço aos vereadores que tiveram a sensibilidade de aprovar esse projeto na Câmara”, enfatiza Zaffalon, lembrando da aprovação da proposta, em dezembro, por 14 votos a 5.

Publicidade

PROCOLETIVO

O Programa Municipal de Reestruturação e Qualificação do Sistema de Transporte Coletivo Urbano de Passageiros (PROCOLETIVO) será viabilizado por meio de recursos advindos dos royalties do petróleo, que começaram a ser pagos a Gravataí em outubro, resultado de uma ação judicial vencida pela Prefeitura. Além de permitir a redução no valor da passagem, garantirá importantes investimentos no sistema de mobilidade urbana, contemplando também os moradores que se deslocam de carro, moto, bicicleta ou outros meios nas ruas de Gravataí.

A iniciativa terá como diretrizes estratégicas a qualificação dos serviços prestados aos usuários, a garantia de sustentabilidade e do equilíbrio econômico-financeiro, a eficiência operacional e a transparência das informações e dos dados do sistema. Será dividida em três grandes fases. A primeira será a redução da tarifa, implementada agora; a segunda, o planejamento da operação do sistema de transporte de passageiros; e a terceira, a qualificação e as melhorias nesta área.

“Todas as medidas e estudos que estão sendo feitos tem como foco o fortalecimento do sistema público de transporte coletivo de Gravataí para que ele se torne autossustentável, já que quanto mais pessoas usarem, maior é o rateio do custo do quilômetro rodado”, afirma o secretário municipal de Mobilidade Urbana, Adão de Castro, lembrando que atualmente, é apenas o valor do bilhete do pagante que sustenta o sistema.

Melhorias

A partir de janeiro, anunciou Zaffalon, outras melhorias também serão implementadas, como a readequação de linhas e horários, retomando grande parte da rede ofertada em 2019. Além disso, está prevista a qualificação da frota, a médio prazo, e a qualificação de vias, com pavimentações, e de locais de embarque (mobiliário urbano).

Uma nova versão do aplicativo do usuário já em operação, o TimeBus, está sendo desenvolvida, assim como um novo aplicativo que oferecerá transporte por demanda. Neste último, usuários de localidades mais afastadas e com baixa demanda poderão ser transportados por veículos menores, como micro-ônibus ou, até mesmo, por veículos menores, que levarão o usuário até uma via troncal do transporte público, com maior fluxo de ônibus e horários, possibilitando que ele também acesse o serviço

Diagnóstico

A queda do número de passageiros no transporte público municipal de Gravataí, de 2013 para cá, é de cerca de 70% – de 611 mil para 173 mil em 2021, considerando os períodos entre março e novembro de cada ano. O custo para a operação também tem crescido consideravelmente. Somente em relação ao diesel, por exemplo, o impacto em 2021 foi de alta de 65%. Além disso, outra questão importante é o impacto das gratuidades para estudantes, idosos, pessoas isentas por motivo de saúde e por meio do Bilhete Social, instituído pela Prefeitura.

Atualmente, cerca de 40% dos usuários na cidade (80 mil pessoas) possuem algum tipo de isenção. Com o projeto e o incremento ao sistema, custeando o valor dessas pessoas – com exceção dos idosos com mais de 65 anos, por se tratar de uma lei federal – como se elas pagassem integralmente, o sistema poderá tornar-se autossustentável.

“Enquanto muitos municípios precisam reajustar a passagem para compensar as perdas ou estudam alguma outra taxação à população, em Gravataí estamos reduzindo o valor da passagem sem penalizar o morador, que ainda será beneficiado com as obras que estamos anunciando. A meta é aumentar o número de usuários, oxigenar o sistema de transporte e qualificar o serviço prestado”, reitera o prefeito.

Economia

Com a redução de mais de 20% no preço da passagem, a economia mensal de cada usuário poderá ser de cerca de R$ 50. “É um valor que auxilia especialmente as famílias de baixa renda. É dinheiro no bolso do trabalhador”, observa Zaffalon.

Posts relacionados

Botão Voltar ao topo