Publieditorial

Twitch: a plataforma de streaming que se tornou um fenômeno

Criado em 2011, o Twitch tinha como objetivo a transmissão de competições de e-sports e videogames. Na plataforma, os chamados streamers transmitem ao vivo suas telas, principalmente para compartilhar as suas habilidades em diversos jogos online, muitos deles que estão entre os mais acessados do mundo.

Publicidade

Enquanto joga, o streamer pode interagir com seu público através de um chat, formando uma comunidade de partilha e participação nas transmissões. Neste chat, vários são os assuntos discutidos, desde comentários sobre a gameplay, convites para jogar com o streamer ou até temas banais do dia a dia. Caso se sinta representada e goste das livestreams, a audiência tem possibilidade de enviar dinheiro para o proprietário do canal.

O crescimento do Twitch

Desde sua criação, o Twitch cresceu rapidamente, levando à compra deste serviço por parte da Amazon, em 2014. Apesar de ser uma plataforma bastante conhecida, foi nos tempos de pandemia que a audiência dos produtores de conteúdo cresceu de forma exponencial, sendo hoje a plataforma de streaming online com mais sucesso.

Em 2020, o Twitch conseguiu alcançar cerca de 18,3 bilhões de horas assistidas, e no primeiro semestre de 2021 obteve um aumento de 106% em relação ao mesmo período do ano anterior. A cada momento, existem cerca de 2 milhões de pessoas conectadas à plataforma, assistindo a algum conteúdo.

As várias formas de entretenimento no Twitch

Há alguns anos que esta plataforma está tentando se desvencilhar do título de ser adequada apenas para transmitir videogames. Com esse intuito, têm sido criadas categorias que remetem para diferentes conteúdos. Exemplo disso é o “Just chating” classificada como uma categoria onde os streamers e os seus seguidores conversam sobre assuntos aleatórios ou assistem a vídeos e memes, sendo uma das mais visualizadas.

Esta mudança levou ao aumento da quantidade de criadores de conteúdo. Atualmente existem canais destinados à transmissão de notícias, concertos, construtores de Lego e puzzles, comunidades que realizam trabalhos manuais juntos e até canais de tricoteiros. Estes são categorizados como “criativos”. Há ainda quem faça lives onde, em conjunto com sua audiência, assistem a séries e comentam o que acontece. É o caso de “O Gambito da Rainha”, que obteve mais de 20 milhões de horas visualizadas no Twitch.

Outro exemplo são os clubs de literatura criados neste serviço de streaming. Nestes canais, seu criador faz lives enquanto lê capítulos de um determinado livro, e quem está assistindo pode ler o mesmo livro em conjunto ou outro do seu interesse. Os mais extrovertidos fazem até narrações para o público.

Atualmente, estão aumentando os canais dedicados à transmissão de apostas online. Esta tendência está ainda começando no Brasil, mas internacionalmente existem muitos streamers que se dedicam aos jogos de cassino online, fazendo apostas ao vivo e obtendo milhares de seguidores.

Foto: Unsplash

Os streamers brasileiros mais conhecidos no Twitch

São muitos os brasileiros que dedicam parte do seu dia fazendo lives na plataforma. No entanto, há três que se destacam pela imensa quantidade de seguidores que conquistaram. O primeiro lugar é ocupado por Alanzoka, que conta atualmente com cerca de 5,6 milhões de seguidores. Seus vídeos abordam diferentes videogames famosos, como Rocket League e The Legend of Zelda.

Bruno Nobru ocupa o segundo lugar no pódio entre os brasileiros, com uma audiência de 3,7 milhões de pessoas. Grande jogador de Free Fire, Bruno já ganhou o campeonato mundial deste game. Já o terceiro maior criador de conteúdo de lives do Brasil é Gaules, com 3,3 milhões de seguidores. Com um grande histórico de jogos no estilo “Player versus Player”, suas transmissões trazem, principalmente, os jogos Counter-Strike e Call of Duty.

O futuro do Twitch

A indústria de streaming está em grande crescimento, principalmente devido à competição entre Twitch e YouTube — que também oferece o serviço de livestreaming — mas também à maior procura por este formato por parte do público. A busca por estas plataformas é tanta que algumas pessoas acham que se elas serão o futuro da TV, com a possibilidade de assistir conteúdos sob demanda, ao vivo e interagindo com o criador de conteúdo. Além disso, grande parte da audiência que está nestas plataformas já não assiste televisão normal, mas sim serviços por assinatura, como a Netflix ou HBO. É esperar para ver o que vem pela frente!

Posts relacionados

Botão Voltar ao topo