EventosNotíciasRio Grande do Sul

Compotma de São Leopoldo comemora os 114 anos de Umbanda

O Conselho Municipal dos Povos Tradicionais de Matriz Africana de São Leopoldo (Compotma) promoveu uma homenagem aos 114 anos de Umbanda na terça-feira, 15 de novembro, na Praça do Imigrante, chamada pelos organizadores como praça da Mãe Oxum.

A homenagem contou com a presença de representantes umbandistas de diversas casas que comentaram sobre a importância da Umbanda na sociedade brasileira, teve bênçãos, homenagem, toques de tambores e uma confraternização entre os presentes.

Publicidade

A chefe do Departamento de Igualdade Racial e vice-presidenta do Compotma, Adriângela Cabral, comentou que a história cultural brasileira pode ser aprendida não apenas em livros, mas também em terreiros de umbanda. “A umbanda reinterpreta os valores, as visões históricas e os acontecimentos nacionais, dialogando com a realidade. As classes de pertença de seus espíritos refletem também grupos que geralmente sofrem ou sofreram exclusão social, uma marca de resistência e preservação de um modo de dialogar com a realidade social de forma a articular, pelos rituais, a inclusão social”, destacou.

Para Adriângela, “este é um momento de confraternização onde a nossa fé continue sendo a transformação para que tenhamos atitudes de amor ao próximo e a si mesmo, alimentando aos que necessitam e que a caridade seja encarada como um dever espiritual.”

Publicidade

O presidente do Compotma, Rodrigo de Azevedo, ressaltou que o ato foi um momento muito gratificante para o conselho e frisou a participação de representantes de outras religiões. “Para nós de matriz africana foi muito importante a presença de pessoas de outras denominações religiosas no dia de homenagem a Umbanda, por não terem preconceito e fazerem a interação conosco”, afirmou ao destacar o reconhecimento à importância da Umbanda no auxílio espiritual para as pessoas. Pai Rodrigo, como é conhecido, agradeceu o envolvimento de todos os conselheiros que participaram da preparação do evento.

Foto: Divulgação /Scom/PMSL

A secretária Municipal de Direitos Humanos, Nadir Maria de Jesus, também prestigiou a celebração.

A atividade faz parte da programação do Novembro Negro.

Confira as próximas ações:

Dias 16 e 17/11

  • Novembro Negro – 1º Congresso Popular Antirracista- Nerer/ Unisinos

Dia 16/11

19h – Abertura Smed no auditório Central da Unisinos, Campus, bairro Cristo Rei

17/11

  • Grupos de Trabalho

Dia 19/11

  • 10h – abertura oficial – Compotma
  • 16h – Grupo Herança Cultural Capoeira
  • 17h – Calçadas
  • 18h – Paulinho Natureza
  • 19h – Silvana Cruz e banda
  • 20h – Neno Braz e banda
  • 21h – Grupo SOS

Dia 20/11

  • 15h – Coral Xangô da Mata Virgem
  • 16h – Coral Ouro Negro
  • 17h – Rodrigo Dj
  • 18h – Mari Lima
  • 19h – Preconceito Zero
  • 20h – Quintal do Cezinha
  • 21h – Estação Primeira de São Léo

Dia 24/11

  • 9h às 12h, 6º Seminário de Relações Étnicos Raciais com o tema “Educação Antirracista, por onde começar?”, na Escola de Gestão Pública da Prefeitura.

Via
Arthur Schneider
Fonte
Scom/ PMSL
Botão Voltar ao topo