AgronegócioRio Grande do Sul

Nova Petrópolis tem 60 produtores de figo

Fruta é o destaque da 48ª Festa do Figo, que ocorre dias 4 e 5 de fevereiro, em Linha Araripe

A fruta que motiva a realização da Festa do Figo está presente em 60 propriedades de agricultores familiares de Nova Petrópolis, conforme registro do escritório local da Emater/RS. São cerca de 38 hectares de área cultivada, que levam a uma produção anual de mais de 450 toneladas da fruta.

De acordo com a Emater/RS, boa parte do figo produzido em Nova Petrópolis é destinado à indústria, volume que corresponde a 80%. Os outros 20% são comercializados na Ceasa e diretamente nas propriedades, além do uso na indústria caseira de doces.

Publicidade

“Trata-se de uma cultura que historicamente tem grande importância para o meio rural de Nova Petrópolis, visto que representa uma forma de diversificar a renda em muitas propriedades e também porque é um ingrediente presente em vários dos nossos produtos coloniais”, afirma o secretário municipal de Agricultura e Meio Ambiente, Jorge Luiz Lüdke.

Entre as 60 propriedades rurais com produção de figo está a de Nilo e Marina Marcon, em Linha Araripe. Ele com 60 anos e ela com 59, ambos têm o figo presente em suas famílias de origem. No caso de Nilo, os avós já produziam a fruta em grande quantidade. Nas terras da família de Marina, onde ela e Nilo vivem hoje, a quantidade de pés de figo era menor. “Fomos ampliando ao longo dos anos”, comenta a agricultora.

Publicidade

Junto com culturas como abóbora, acácia e eucalipto, além da produção leiteira, atualmente o casal cultiva dez variedades de figo em uma área de 1,5 hectare, com destaque para a variedade “pingo de mel”.

Marina e Nilo deram início à colheita da safra de 2023 na segunda-feira, 16 de janeiro, antevendo um volume de 16 toneladas da fruta. Assim como ocorre com a maioria das famílias produtoras, o volume produzido pelo casal de Linha Araripe destina-se em maior parte à indústria, além da venda in natura na própria propriedade. Uma parte da colheita também é congelada, sendo utilizada ao longo do ano como ingrediente para produtos como cucas, comercializadas por Nilo e Marina nos Fornos de Gramado.

E parte dessa produção será destinada à 48ª Festa do Figo, que ocorre nos dias 4 e 5 de fevereiro, na Sociedade Cultural e Esportiva Linha Araripe. “A Festa do Figo é muito importante para nós produtores, principalmente porque ela dá visibilidade e divulgação para essa fruta. Por causa da festa, Nova Petrópolis já é referência em figo e quem quer comprar e consumir acaba vindo para cá, e não é só durante o evento”, explica Nilo.

Botão Voltar ao topo