Cidades do RSNotíciasRio Grande do Sul

Procon de São Leopoldo orienta consumidores para as compras de Páscoa

Com a proximidade da Páscoa e da Semana Santa, o Procon de São Leopoldo alerta os consumidores a respeito dos cuidados que devem ser observados na hora de comprar itens como chocolate e pescados.

Publicidade

Com a variedade de produtos à venda, é preciso ter alguns cuidados para garantir o consumo saudável para o corpo e para o bolso. Para auxiliar o consumidor a fazer suas compras de forma consciente, o Procon de São Leopoldo organizou dicas que você confere a seguir.

Para o consumidor que vai sair às compras, planejar e comparar preços dos produtos é fundamental para evitar várias práticas abusivas. Não ter pressa no momento da compra também faz você economizar. Para as compras em lojas físicas, o Procon recomenda que o ideal é ir em dias e horários amenos, onde possa passar por todos os produtos analisando cada detalhe que achar relevante, lembrando de sempre realizar a pesquisa de mercado. Muitos estabelecimentos possuem sites para que o consumidor possa fazer a pesquisa sem sair de casa.

Publicidade

1 – Pesquisa em Primeiro Lugar

Com disciplina e planejamento é possível fugir do superendividamento nessa época do ano. Antes de ir às compras, consulte suas finanças e prioridades. Faça pesquisa de preços; não deixe para comprar de última hora. Considere como opção produtos artesanais, que se mostram uma boa escolha para consumidores que procuram produtos saudáveis, sem glúten, lactose, conservantes e até orgânicos. Além disso, é uma maneira de movimentar a economia local. Também, fazer seu próprio ovo de Páscoa pode ser um momento divertido, especialmente se tiver crianças na família, além de ser econômico.

2 – Chocolate ou um produto de Cacau?

Pelo regulamento técnico, para ser considerado chocolate o produto deve ser produzido com pelo menos 25% de cacau. O chocolate branco é produzido a partir da manteiga de cacau, devendo ter, no mínimo, 20% da matéria-prima para assim ser considerada. (Fonte: Resolução RDC n° 264, de 22 de setembro de 2005). Também é importante se assegurar da qualidade do chocolate e checar o prazo de validade. Todos os consumidores têm direito à informação adequada e segura sobre os produtos que estão adquirindo. Por isso, consulte o rótulo dos chocolates para saber o teor de gorduras (totais, trans e saturadas), percentuais de açúcar, sal, calorias e outras. Os chocolates classificados como amargo ou meio amargo devem possuir entre 50% e 70% de cacau em sua composição. Já os consumidores com algum tipo de restrição alimentar – leite e glúten, por exemplo – devem redobrar a atenção no momento da compra.

3 – Ovos, Barras ou Bombons?

Com inúmeras possibilidades nas lojas, fazer escolhas é um desafio. Verifique e compare o peso de cada item. Depois, faça os cálculos para saber o que mais compensa.

4 – Conferência do Preço e Formas de Pagamento

As etiquetas podem estar afixadas diretamente nos produtos, vitrines e prateleiras, por isso é preciso conferir com atenção! Caso haja divergência entre o preço verificado no local de exposição do produto e aquele informado no caixa, prevalecerá o menor. As formas de pagamento devem estar devidamente informadas, inclusive os valores à vista e a prazo, taxas de juros e valor total. Se a dúvida persistir, consulte os terminais de leitura óptica ou peça ajuda ao atendente.

5 – Trocas de Produtos

O Código de Defesa do Consumidor estabelece que é obrigatória a troca de produtos com defeitos de fábrica. Porém, trocas motivadas por gostos pessoais devem ser combinadas diretamente com o fornecedor, por isso consulte as políticas de trocas do estabelecimento. Guarde sua nota ou cupom fiscal, pois é fundamental na hora da troca.

6 – Compras pela Internet

Sempre confira as condições informadas (preço, valor do frete, prazo de entrega, quantidade, peso, tabela nutricional) antes de efetivar a compra. Lembre-se que nas compras realizadas pela internet, o consumidor pode exercer o “direito do arrependimento”, que é a devolução do produto, sem qualquer custo, até sete dias a partir da data de recebimento.

7 – Alterações no peso dos Produtos

A estratégia de diminuição de peso dos produtos tem sido uma prática recorrente das indústrias no mercado de consumo. O Ministério da Justiça, por meio da Portaria 81/2002, determina que os fornecedores informem claramente as alterações de peso ou quantidade na embalagem, devendo constar o peso anterior e atual para que o consumidor possa tomar a decisão de comprar ou não. Por isso, compare peso e preços praticados por diversas marcas.

8 – Estratégias de Publicidade

As propagandas são de encher os olhos, principalmente das crianças, por isso cuidado! Evite a exposição dos pequenos à publicidade, seja nas lojas ou na internet. Muitas propagandas são direcionadas diretamente às crianças e não aos pais, que têm o poder de compra. Mas, se ainda assim você optar por ovos com brinquedos, observe se o produto contém selo INMETRO e se correspondem à faixa etária da criança.

Confira os anúncios: As informações fornecidas em folhetos ou em qualquer material publicitário devem ser conferidas na hora da compra, pois o fornecedor deve sempre cumprir as ofertas anunciadas.

9 – Atenção com Embalagens:

Quanto à embalagem dos produtos, ela deve estar lacrada, íntegra, sem furo ou amassada, pois é ela que protege o produto de insetos e de contaminação.

Verifique o rótulo: É importante que o consumidor verifique no rótulo dos produtos as informações obrigatórias: data de validade, nome e endereço do fabricante, informação nutricional, etc.

Procedência: Leia o rótulo ao comprar pescado embalado: Quando vendido embalado, deve apresentar no rótulo a denominação de venda, data de validade, país de origem, prazo de validade, selo de inspeção federal (SIF) e outras informações obrigatórias. No caso de produtos importados, as informações devem estar em português.

Observe a conservação do pescado: é importante que o consumidor, na hora da compra, atente-se ao tipo de conservação dos produtos, que devem ser armazenados em local limpo, protegido de poeira e insetos. Importante que o consumidor verifique se não há a presença de mofo, ovos ou larvas de moscas, manchas escuras ou avermelhadas, limosidade superficial, amolecimento e odor desagradável, que indicam que o produto não está bom para consumo.

O pescado fresco deve apresentar carne firme, olhos salientes e brilhantes, e escamas que não soltem facilmente. Se os produtos apresentarem amolecimento ou acúmulo de líquidos, é sinal de que passaram por um processo de descongelamento. A presença de gelo ou muita água indica que o balcão foi desligado ou teve sua temperatura diminuída temporariamente, o que pode comprometer a qualidade do produto, causando sua deterioração. Nesses casos, é fundamental que o consumidor reporte o fato ao Procon, bem como à Vigilância Sanitária para que sejam tomadas as devidas providências.

Se vai comprar peixe fresco em feira ou mercados, o consumidor deve acompanhar a pesagem do produto, que deve ser feita à sua vista.

LEMBRE SEMPRE: Exija a nota fiscal, para assegurar seus direitos como consumidor.

Caso haja irregularidades, o consumidor pode ligar no telefone (51) 2200-0355 ou enviar uma mensagem no WhatsApp (51) 99768-1252.

Texto e pesquisa: Patrícia Ferreira- fiscal do Procon-SL
Revisão: Vanessa Bueno – Jornalista /Scom/ PMSL

Botão Voltar ao topo