AgronegócioRio Grande do Sul

Rúmina oferece soluções para pecuária na Expodireto Cotrijal

Empresa conecta pecuária gaúcha ao Agro 5.0. De saúde do úbere ao acesso fácil ao crédito, Rúmina apresentará no evento suas cinco soluções tecnológicas que permitem evolução na produção pecuária de leite

As tecnologias para o setor leiteiro promovidos pela Rúmina, empresa que tem o objetivo de simplificar a adoção de tecnologias pelos produtores, seja biotecnologia, sensores, softwares, soluções financeiras e inteligência artificial, estarão disponíveis na Expodireto Cotrijal, entre os dias 06 e 10 de março na cidade gaúcha de Não-me-toque. O evento atrai visitantes de mais de 70 países e são aguardadas 250 mil pessoas que em cinco dias.

Uma das maiores feiras do agronegócio brasileiro, o evento é focado em tecnologia e negócios e busca aproximar o produtor do conhecimento, das informações, dos órgãos de pesquisa e das empresas privadas, com oportunidades e debates ligados ao meio rural.

Publicidade

A participação da Rúmina no evento ganha mais importância neste ano devido às dificuldades enfrentadas para produzir o leite, em nível crescente, a cada ano. Segundo a Emater, a estiagem no começo do ano impactou muito a atividade no Rio Grande do Sul. Com pouca pastagem ou silagem, o produtor precisou investir mais na dieta para garantir o nível da produção .

Desde as instabilidades dos preços, passando pelo alto custo de produção, o cenário aos produtores exige cada vez mais ajustes do ponto de vista tecnológico, econômico e sanitário para produzir mais e melhor. “Levaremos todos os produtos do nosso portfólio para o segmento leiteiro: OnFarm, Ideagri, RumiCash, RumiTank e RumiScore”, explica o Diretor de Marketing e Vendas da Rúmina, Gabriel Toledo.

Publicidade
Gabriel Toledo, Diretor de Marketing e Vendas da Rúmina – Foto: Divulgação

Uma das marcas presentes no estande da Rúmina será a OnFarm, que atua na saúde animal, promovendo o controle de mastite em vacas leiteiras, doença que mais causa prejuízo ao setor leiteiro. Com o uso da tecnologia, cerca de 50% dos casos de mastite clínica não precisam ser tratados com antibióticos, o produtor reduz gastos com medicamentos, minimiza o descarte de leite podendo, assim, comercializá-lo e contribui para o conceito de sustentabilidade ao evitar o uso indiscriminado de antibióticos.

“Já trabalhamos com esta tecnologia presente no Rio Grande do Sul desde o lançamento da OnFarm, em 2018. Temos 250 fazendas atendidas no estado e mais de 20 mil amostras registradas no aplicativo, evitando potencialmente o descarte de 750 mil litros de leite, que representam uma economia de R$ 390 milhões para o estado nestes 5 anos”, detalha Gabriel Toledo.

Gerson Decarli, produtor da Fazenda Decarli, na cidade de Vila Maria (RS), conta que a OnFarm melhorou muito o sistema sanitário na fazenda. “Antes, sem o laboratório nós tratávamos todos os casos de mastite gerando um alto custo. Não tratando com antibiótico, não precisamos descartar o leite, gerando uma boa economia”, diz.

Já Fabiana Kogler, produtora, Fazenda Agropecuária KS, em Ibirubá (RS) afirma que a OnFarm mostrou agilidade, praticidade e economia. “Em questão de 24 horas temos o resultado na palma de nossas mãos, indicando o agente causador e os protocolos de tratamento. Em nossa propriedade as vacas responderam muito bem aos tratamentos”, diz. “Desde que conhecemos a OnFarm, a mastite deixou de ser um problema em nossa fazenda. Com o tratamento correto conseguimos melhorar o bem-estar dos animais”, afirma.

Apoio financeiro

Os custos dos insumos, como os fertilizantes para produzir a dieta para o rebanho leiteiro, subiram mais de 100%, entre 2021 e 2022. Segundo o Sindicato da Indústria de Laticínios e Produtos Derivados, Sindilat, o setor contou com uma oscilação nunca vista antes em 2022. A cada quatro meses, convive com uma nova realidade diferente.

A partir de setembro, houve uma situação de produtos importados, principalmente o leite em pó e queijo, e isso forçou uma baixa dentro do mercado brasileiro e a forte queda do preço do leite fragiliza o produtor e incentiva abandono da atividade. Algumas entidades temem que a falta de incentivo e políticas específicas para o setor acentuem ainda mais essa crise.

Dentro do seu pacote, a Rúmina também levará para Não-me-toque a RúmiCash, uma solução financeira voltada à cadeia do leite que oferece linhas de crédito e antecipações de pagamentos a produtores pelos laticínios parceiros. “Com grande facilidade e contato via WhatsApp, ela oferece a possibilidade de realizar investimentos e aproveitar oportunidades no momento ideal, com adiantamento de recebíveis do leite, crédito direto ao produtor e crédito estruturado para insumos”, afirma Toledo.

O ticket médio de empréstimo por produtor na RúmiCash é de R$25 mil por operação, proporcionando o acesso ao microcrédito para produtores, diferente de um financiamento de longo prazo. “Este é um crédito de oportunidade ou manutenção, que permite que o produtor tenha fluxo de caixa para se manter na atividade. Ele usa muitas vezes para plantar a lavoura de fazer silagem para as vacas, para comprar fertilizantes, sementes e outros insumos que geralmente são compras à vista”, detalha.

A produtora Mafalda Costa, do Sítio Santa Rosa, em Perdizes (MG), conta que chegou a pensar em desistir da produção de leite. “Somos pequenos produtores e temos dificuldade de acesso aos bancos para solicitar empréstimo. Como passamos por um período muito difícil no setor leiteiro, pensamos em vender o gado. Quando recebi as informações sobre a RúmiCash, percebi que seria uma ‘luz no fim do túnel’. A gente não tinha o dinheiro e, por meio da RúmiCash, conseguimos o valor à vista e pagando de forma parcelada. Ficou bem melhor para nós e coube em nosso orçamento”, conta. “A gente pode contar com as empresas como a Rúmina para essa parceria conosco, para não deixar os pequenos produtores se acabarem, para termos força para continuar”, conta.

Conheça outras soluções da Rúmina para gado de leite

Ideagri, uma ferramenta simples e prática para análise de indicadores avançados para o controle zootécnico e financeiro nas fazendas de leite.

RumiScore, a maior avaliação comparativa de produtividade e sustentabilidade da pecuária de leite do Brasil. Por meio de 13 indicadores zootécnicos, cada fazenda inscrita passa pela avaliação de suas principais características, desde a eficiência de criação de animais jovens até produtividade do rebanho e as estimativas de emissão de metano. Ao final, recebe uma nota geral, o RumiScore e, com isso, pode entender em que nível está em cada um desses indicadores frente a média das melhores fazendas.

RumiTank, tecnologia que permite o acompanhamento à distância de dados em tempo real de volume, temperatura e a agitação do leite. Ele mantém o produto refrigerado a 4ºC, até o momento de sua coleta pelo frigorífico. O RumiTank monitora parâmetros de funcionamento do tanque, reconhecendo inclusive as quedas de energia.

Sobre a Rúmina

Rúmina é uma empresa de soluções digitais para a pecuária do Brasil. Engloba as marcas Ideagri, líder em sistema de suporte à tomada de decisão para pecuária de leite; OnFarm, solução digital que ajuda na saúde do úbere; Bovitech, solução de tomada de decisão para pecuária de corte; RúmiCash, fintech voltada à cadeia do leite; RumiTank, tecnologia com base em sensores para monitoramento em tempo real do funcionamento do tanque de leite e o RumiScore, o maior benchmarking de produtividade e sustentabilidade da pecuária de leite do Brasil.

A Rúmina oferece soluções digitais para apoiar os produtores de hoje a se tornarem os produtores do futuro: mais produtivos e sustentáveis através da melhor experiência para os produtores e empoderando técnicos veterinários, consultores e toda a cadeia de valor da pecuária. Mais informações: www.rumina.com.br

 

Botão Voltar ao topo