Saúde

Remédios para dor podem impactar cognição em idosos

Um estudo recente da Mayo Clinic, publicado na revista Journal of the American Geriatrics Society, constatou que a prescrição de opioides pode ter um efeito negativo na função cognitiva em adultos idosos. Utilizando dados do estudo de envelhecimento da Mayo Clinic, a equipe de pesquisa descobriu que 70% dos participantes receberam pelo menos uma prescrição de opioide durante uma média de 7,5 anos.

Publicidade

E cada prescrição estava associada a declínios no desempenho cognitivo, especialmente em memória, linguagem e atenção. As pessoas que receberam opioides também tiveram uma chance 20% maior de desenvolver disfunção cognitiva, um estado de declínio cognitivo que vai além do envelhecimento normal.

A médica Nafisseh Warner, anestesiologista e médica especialista em dor, enfatiza a importância de incluir essas informações na tomada de decisões compartilhadas entre pacientes e profissionais de saúde sobre estratégias ideais de gerenciamento da dor. A Dra. Warner, que é apoiada pelo National Institute of Aging e foi bolsista do Kern Health Care Delivery na Mayo Clinic Robert D. and Patricia E. Kern Center for the Science of Health Care Delivery, ressalta que o tratamento deve ser personalizado para cada paciente com a avaliação dos riscos e benefícios e acompanhamento clínico rigoroso.

Publicidade

Embora a dor seja comum em adultos idosos, os autores do estudo sugerem que o uso de prescrição de opioides deve ser cuidadosamente avaliado, considerando os riscos e benefícios para cada paciente. Eles acreditam que os resultados do estudo poderiam levar ao desenvolvimento de estratégias de tratamento mais efetivas para adultos idosos, além de ajudar a mitigar o impacto negativo da prescrição de opioides na função cognitiva.

No entanto, os mecanismos pelos quais os opioides podem levar ao declínio cognitivo não são completamente compreendidos, e ainda não há certeza se a prescrição de opioides é um marcador para outras condições associadas com a disfunção cognitiva ou se há uma relação causal direta.

A Dra. Warner enfatiza que qualquer decisão de tratamento deve ser feita considerando o que mais importa para o paciente, inclusive a saúde do paciente, os objetivos de vida e as preferências de cuidado. Quando adotar uma terapia com opioides, é importante otimizar outros fatores que possam ser protetivos em relação ao declínio cognitivo, como o sono, a prática de exercícios e a socialização.

Botão Voltar ao topo