EventosNotíciasPorto Alegre

“Karma”, dança de Santa Catarina, fará três apresentações em Porto Alegre

Capital gaúcha é contemplada com circulação do Prêmio Funarte 2022

O Prêmio Funarte Circulação e Difusão da Dança – 2022, promovido em todo o país pela Fundação Nacional de Artes (Funarte), contempla 30 projetos de circulação de espetáculos de dança. Um desses projetos é “Karma”, concebido, dirigido e interpretado por Rodolfo Lorandi e Maria Claudia Reginato, representando Santa Catarina, onde o casal vive e atua em Florianópolis. A performance, criada em 2015, baseia-se em danças de parceria, de salão e contemporâneas, e abrange Santa Catarina, Paraná e Rio Grande do Sul. Com ingressos gratuitos, as apresentações em Porto Alegre acontecerão a partir de amanhã, dia 22, às 16h, no Laboratório Cênico Esefid da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), no Jardim Botânico. Também haverá uma apresentação às 10h na sexta-feira, dia 23, e no sábado, dia 24, às 20h, será possível assistir no Espaço n – Estúdio de Dança, na Cidade Baixa.

Publicidade

O projeto visa promover a interação e o diálogo após as performances, proporcionando acesso gratuito a diversos públicos. Depois de circular por 11 cidades em seis estados brasileiros (Santa Catarina, Paraná, Amazonas, Pernambuco, Rondônia e Acre), participar de uma mostra online e receber um prêmio de difusão virtual, o espetáculo acumula um total de 32 encenações e alcança centenas de pessoas em todo o país. “Karma” – Circulação Sul (2023) marca o encerramento do ciclo dessa obra, que está diretamente ligada à pesquisa de doutorado de Lorandi no Programa de Pós-graduação em Artes Cênicas (PPGAC) da Udesc.

1.Lorandi-e-Maria-Claudia-Reginato-Karma-Foto-Daiane-Ros
Karma, com Lorandi e Maria Claudia Reginato – Foto por: Daiane Ros

Quanto ao conceito do trabalho e à retomada da circulação, Lorandi afirma: “Com espaço para a ocorrência, interessados em tudo o que atravessa um momento coreográfico do passado, não importa se o movimento foi executado corretamente, mas sim a proposta de descobrir o que aquele movimento desejou em nós, gravado em nossos corpos. Porque repetimos e o que permanece nesses corpos? Que bolhas atemporais são essas que nos guiam no palco? A criação, sensível ao público e às questões íntimo-coletivas, foi influenciada pelo trabalho do astrobiólogo Carl Sagan, filosofias budistas e indígenas, teorias sobre multiversos ou individualização no palco, inquietações sobre identidade e gênero, textos dos escritores Jorge Luiz Borges e Erin Manning, nossos movimentos e coreografias (ou o que nos lembramos deles), a trajetória com a Grão Cia. de Dança e muitos, muitos afetos e visões de mundo”.

Publicidade

Por sua vez, a bailarina Maria Claudia Reginato descreve “Karma” como uma experiência. Ela diz: “A experiência cria memória, a memória cria imaginação e desejo, e o desejo cria um novo karma”. Ela ressalta que “carma” é a palavra usada para representar a dança nessa obra, “uma dança de recomeços nunca iguais, uma apresentação sobre nós mesmos e um diálogo sobre vocês”.

O prêmio

Com o Prêmio Funarte Circulação e Difusão da Dança – 2022, a Funarte incentiva a circulação de espetáculos e atividades correlatas na área da dança, que já tenham estreado previamente, contribuindo para o fortalecimento deste segmento artístico e possibilitando a ampliação da oferta e da fruição dos bens e serviços culturais e criativos. Nesta ação a Funarte investe o valor de R$ 1,350 milhões, com 30 prêmios de R$ 45 mil, sendo seis para cada região do país. Com abrangência nacional, a instituição contempla 30 projetos de circulação de espetáculos no segmento artístico da dança.

Sobre Rodolfo Lorandi

Com 20 anos de trajetória nas áreas da cultura, educação e lazer, pai de Tainá, parceiro da artista e produtora Mª Claudia Reginato. Pesquisador-doutorando em artes cênicas (Udesc), mestre em teatro (Udesc), especialista em gestão cultural (Senac), graduado em artes visuais (Claretiano) e em Educação Física (Udesc). Gestor de microempresa voltada à produção em arte, cultura e educação, bolsista CAPES na linha pedagogia das artes cênicas pelo Programa de Pós-graduação em Artes Cênicas da Udesc (2020), professor conteudista pela Vitru Edtech, soluções educacionais e autor do livro “Contemporaneidades em Danças de Salão: Abordagens que Dançam Nossos Tempos” (2022). Foi jurado técnico-artístico, pela Fesporte, do Festival Dança Catarina 2022 em 22 cidades; técnico de atividades e responsável pela gestão de equipes, equipamentos e atividades de lazer, cultura e educação pelo Hotel Sesc Cacupé (2021/22); professor universitário nas disciplinas dança e educação inclusiva e teoria e prática da dança de salão’, pela Faculdade Regional de Blumenau (Furb, 2019/21); produtor, professor e bailarino pela Grão Cia. de Dança (2012/21) e circulou em oito estados brasileiros com obras e projetos artísticos contemplados em diferentes editais (2015/23). Foi conselheiro setorial pelo Conselho Municipal de Política Cultural de Florianópolis (2016/18); instrutor de dança pelo Sesc Prainha e coordenador de cursos e projetos culturais e educacionais (2010/13); professor, bailarino e coordenou diferentes atividades pela Cenarium Escola de Dança (2005/18) e professor estagiário com atividades de saúde e assistência com idosos pela Prefeitura Municipal de Florianópolis (2007/08).

Sobre Maria Claudia Reginato

Mãe de Tainá, artista, mulher, CEO da empresa Nó Petit, empresária, produtora cultural, professora e bailarina, parceira do artista Rodolfo M. Lorandi com quem atua e dirige projetos culturais. Foi produtora e bailarina pela Grão Cia. de Dança (2012/21) e atuou como diretora e/ou produtora e bailarina nos projetos Miscelânea em Dança – Neurodiversidades em Mmovimento (2010/Elisabete Anderle 2020), Semana Dança na Escola SC 2020 (Elisabete Anderle 2019). Residência em Multiarte e Economia Solidária (Elisabete Anderle 2017), Investigação, difusão e manutenção da Grão (Elisabete Anderle 2017). Circulações dos espetáculos: “Kama” (Klauss Vianna 2015 e Elisabete Anderle 2017/20) e “Moebius” (Klauss Vianna 2015 e Elisabete Anderle 2015/20). Foi professora e auxiliar administrativa na Cenarium Escola de Dança (2013/19). Dançou no grupo experimental Kirinus (2012/14); foi jurada do prêmio municipal Melhores do Carnaval de Florianópolis (2012).

1.-Flyer-POA

EQUIPE TÉCNICA

  • Direção, produção e bailarinos | Rodolfo Lorandi e Maria Claudia Reginato
  • Interlocução | Diana Gilardenghi e bailarinos
  • Produção | Gabriel Ferreira, Leonardo Taques, Caio Vedovatto e Tatiana Asinelli
  • Direção de luz | Iscarlat Lemes, Leonardo Taques, Vigo Cigolini e Anne Plein
  • Direção audiovisual | Jerusa Mary
  • Montagem, figurino, arte gráfica e redes | Rodolfo Lorandi e Maria Claudia Reginato
  • Mediações | Tatiana Asinelli, Zilá Muniz, Carol Souza, Lidiani Emmerich, Bruna Tomaz, Leonardo Taques, Chico Cordeiro, Caroline Wüppel, Diana Gilardenghi e Katiusca Dickow
  • Intérpretes libras | Lisiê Mastey e Hanna Beer Furtado
  • Design gráfico | Rodolfo Lorandi
  • Fotografia | Dayane Ros
  • Assessoria de imprensa | Néri Pedroso

SERVIÇO – apresentações gratuitas

22.6.23 (qui.) – 16h – Laboratório Cênico Esefid/UFRGS, rua Felizardo, 750, Jardim Botânico, Porto Alegre/RS

  • Mediação | Caroline Wüppel

23.6.23 (sex.) – 10h – Laboratório Cênico Esefid/UFRGS, rua Felizardo, 750, Jardim Botânico, Porto Alegre/RS

  • Mediação | Chico Cordeiro

24.6.23 (sáb.) – 20h – Espaço n – Estúdio de Dança, rua da República, 433/101, Cidade Baixa, Porto Alegre/RS

  • Mediação | Carol de Souza

JULHO

8.7.23 (sáb.) – 19h – Sala Cênica Cenarium, rua Eduardo Gonçalves d’Ávila, 150, Itacorubi, Florianópolis/SC

  • Mediação | Lidiani Emmerich

14.7.23 (sex.) – 20h – Teatro Sesc Prainha, trav. Siríaco Atherino, 100, Centro, Florianópolis/SC

  • Tradução libras | Lisiê Mastey
  • Mediação | Diana Gilardenghi

15.7.23 (sáb.) – 19h – Teatro Sesc Prainha, trav. Siríaco Atherino, 100, Centro, Florianópolis/SC

  • Tradução libras | Lisiê Mastey
  • Mediação | Katiusca Dickow

19.7.23 (qua.) – 20h – Casa Hoffmann, rua Dr. Claudino dos Santos, 58, São Francisco, Curitiba/PR

  • Tradução libras | Lisiê Mastey
  • Mediação | Leonardo Taques

20.7.23 (qui.) – 20h – Escola Danza Mais, rua 15 de Novembro, 1425, Centro, Curitiba/PR

  • Tradução libras | Lisiê Mastey
  • Mediação | Bruna Tomaz

21.7.23 (sex.) – 20h – Escola Danza Mais, rua 15 de Novembro, 1425, Centro, Curitiba/PR

  • Tradução libras | Lisiê Mastey
  • Mediação | Tatiana Asinelli

AO VIVO | youtube.com/@maisquedancar

INFORMAÇÕES | instagram.com/maisquedancar/

REALIZAÇÃO

Prêmio Funarte Circulação e Difusão da Dança – 2022, Fundação Nacional das Artes – Funarte e Ministério da Cultura – MinC – Governo Federal/Brasil

APOIO:

Rede Mais que Dançar, Universidade do Estado de Santa Catarina (Udesc) – Centro de Artes, Grão Cia. de Dança, Serviço Social do Comércio (Sesc/Prainha), Cenarium Escola de Dança, Jerusa Mary Fotografia, Espaço N – Estúdio de Dança, Abaila – Feio para Mover, Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) – Escola de Educação Física, Fisioterapia e Dança, Casa Hoffmann, Fundação Cultural de Curitiba e Município de Curitiba

SAIBA MAIS
Ao vivo:
youtube.com/@Maisquedancar
Informações: instagram.com/maisquedancar

Botão Voltar ao topo