Cidades do RSRio Grande do Sul

RS decreta estado de calamidade pública após mais de 30 mortes

Os desfiles de 7 de setembro também foram suspensos em todo o Estado

O governador do Rio Grande do Sul Eduardo Leite anunciou, nesta quarta-feira (6), a decretação do estado de calamidade pública no Rio Grande do Sul. Já foram confirmadas 31 mortes em decorrência das chuvas intensas dos últimos dias. O decreto está em elaboração e deve ser publicado até o fim do dia.

Publicidade

Além disso, os desfiles de 7 de setembro, que estavam marcados para amanhã, foram suspensos em todo o Estado. O cancelamento objetiva concentrar todos os trabalhos e atenções no atendimento às vítimas. As ações de salvamento também envolvem o Exército Brasileiro.

Governador Eduardo Leite esteve em Lajeado e demais cidades afetadas pelas cheias do Rio Taquari – Foto: Laura Mallmann

A bordo de um helicóptero da Força Aérea Brasileira (FAB), Leite percorreu as áreas atingidas acompanhado pelo Ministro da Integração e do Desenvolvimento Regional, Waldez Góes, e pelo Ministro-Chefe da Secretaria de Comunicação Social da Presidência da República, Paulo Pimenta.

Publicidade

Após o sobrevoo, a comitiva visitou abrigos que estão recebendo desalojados, reuniu-se com prefeitos e lideranças da região e, por fim, concedeu coletiva de imprensa em Lajeado. Leite definiu o cenário de destruição no Vale do Taquari como “devastador”.

“Vimos comunidades totalmente submersas. É desolador, há muita destruição. Tive de segurar o choro em alguns momentos. E sabemos que mais mortes podem ser constatadas. Essa situação dói e nos toca. Mas devemos nos manter firmes para dar todo o suporte à população”, disse o governador.

Leite pediu atenção redobrada para os próximos dias, devido à possibilidade de desdobramentos do evento climático. “Há previsão de chuvas fortes, infelizmente. Precisamos ser resilientes e seguirmos atentos, sempre a postos para dar o socorro necessário. Estamos ao lado da população e vamos superar tudo isso juntos”, enfatizou.

O governador destacou também o trabalho de busca das forças de segurança no resgate das pessoas que ainda estão ilhadas. Ele frisou ainda que a prioridade do governo continua sendo garantir a segurança de todos os atingidos pelo temporal. O Estado pediu ao governo federal o apoio de mais aeronaves para auxiliar no trabalho.

Números

Do total de 31 óbitos confirmados no Estado em decorrência dos temporais, 15 ocorreram em Muçum, sete em Roca Sales, dois em Lajeado, dois em Estrela, dois em Ibiraiaras, um em Mato Castelhano, um em Passo Fundo e um em Cruzeiro do Sul.

Até o início da tarde desta quarta-feira (6/9), a Defesa Civil estadual contabilizou 75 municípios atingidos, 2.299 pessoas desabrigadas e 3.084 desalojadas. Estima-se em 43.887 o número total de afetados.

Dois municípios decretaram situação de emergência e incluíram esses documentos no Sistema Integrado de Informações sobre Desastres (S2iD): Santa Tereza e Nova Roma do Sul.

A decretação é o primeiro passo dado pelos municípios que necessitam de apoio dos governos estadual e federal para a solicitação de ajuda humanitária e de recursos financeiros para as ações de resposta, restabelecimento e reconstrução. Os decretos devem ser incluídos no S2iD. Após a inclusão, o Estado realiza a análise e o processamento da homologação estadual e encaminha à Secretaria Nacional de Proteção e Defesa Civil para o reconhecimento federal.

O governo do Estado concentra seus trabalhos nas ações de salvamento e resgate. As operações estão empregando viaturas, helicópteros e embarcações. Além disso, a Defesa Civil estadual segue monitorando continuamente a situação das bacias hidrográficas.

Nesta quarta-feira, o órgão emitiu também um alerta para inundação do rio Jacuí e do Delta do Jacuí, avisando que o curso de água está em rápida elevação a partir do município de Triunfo. O informe é válido até as 8h da manhã de quinta-feira (7/9).

Em caso de emergência, deve-se ligar para 193 (Corpo de Bombeiros Militar) ou 190 (Brigada Militar).

Botão Voltar ao topo