Rio Grande do Sul

Gramadozoo reproduz emas e araras

Animais foram reproduzidos via incubação artificial

O Gramadozoo, em Gramado, conseguiu reproduzir emas e araras utilizando a incubação artificial. Os ovos férteis são retirados dos recintos e colocados na incubadora instalada no hospital veterinário. Os três filhotes de ema foram os primeiros a nascer, entre 17 e 27 de outubro. Depois, mais dois nascimentos de araras-canindé foram registrados, nos dias 30 e 31 de outubro. Na última semana, nos dias 6 e 8 de dezembro, nasceram mais dois filhotes de arara.

O veterinário Jorge Lima, responsável técnico do Gramadozoo, explica que o parque já obteve sucesso na reprodução das duas espécies de forma natural. No entanto, observa que os nascimentos são mais difíceis de serem registrados uma vez que são expostos a mais desafios do que quando recebem cuidados artificiais. “Na incubadora, conseguimos controlar a temperatura e a umidade. Enquanto a temperatura média na chocadeira fica na casa dos 37,5° C, a umidade deve variar entre 45% e 50%”, revela.

Publicidade

Além de uma incubadora, o médico veterinário conta com uma Unidade de Tratamento Animal (UTA), que recebe os recém-nascidos. O especialista destaca que os filhotes exigem atendimento especial após o nascimento. “Os filhotes de araras exigem mais cuidados por serem altriciais. Precisam de alimentação, aquecimento e cuidados parentais. Nascem de olhos fechados e vivem no ninho até atingir a maturidade. Já as emas, são diferentes. São precociais, ou seja, são filhotes independentes, que nascem com olhos abertos e começam a caminhar cedo”, compara.

Publicidade

Segundo Lima, as ararinhas são alimentadas a cada duas horas ao nascerem. “Os recém-nascidos recebem alimento conforme esvazia o papo. Já os filhotes que nasceram primeiro, estão com aproximadamente 45 dias e, agora, recebem alimentação três vezes ao dia. São 180 gramas de papinha especial por vez”, conta.

Botão Voltar ao topo