Saúde

Energéticos e outras bebidas estimulantes podem causar arritmias

Todo mundo tem o direito de se divertir. No entanto, é preciso cuidado a respeito das escolhas feitas em um momento de euforia. Muitas vezes, atitudes inofensivas podem desencadear problemas de saúde mais sérios, como arritmias. “Já existem vários estudos mostrando que o uso de energéticos à base de cafeína apresenta riscos para o coração, principalmente por facilitar o aparecimento das arritmias cardíacas”, explica o chefe da Clínica Cardiologia do Hospital CEMA, Carlos Alberto Pastore.

Arritmia é o termo usado para designar os desajustes nos batimentos e ritmo do coração, que pode bater mais rápido do que o normal (taquicardia) ou mais devagar (bradicardia). Bebidas estimulantes não têm esse nome à toa. Elas “aceleram” o organismo, inclusive o sistema cardiovascular. “Não há dúvida de que o coração é sensível às substâncias dos energéticos, e, quando associados ao álcool, são muito agressivos ao músculo e ao sistema elétrico do órgão”, detalha Pastore.

Embora seja um problema que pode acometer qualquer um, são os pacientes portadores de doenças cardíacas os maiores prejudicados. Nesse caso, o mais recomendado é evitar o consumo de tais substâncias. Muitas vezes também o uso de bebidas estimulantes pode “desmascarar” uma doença que estava escondida. “As doenças elétricas do coração, por vezes, são assintomáticas, e só se expressam quando o coração é estimulado. Fazer exercícios muito intensos, usar drogas e também consumir energéticos podem ser fatores desencadeadores das arritmias cardíacas. E podem ser fatais”, finaliza o médico.

Embora alguns casos sejam assintomáticos, alguns sinais podem indicar que há algum problema cardiovascular ocorrendo. O mais comum deles é sentir palpitações ao consumir tais bebidas. A principal recomendação, nesse caso, é interromper o uso de energéticos e similares e procurar um especialista.