Comitê de Economia da ACI-NH avalia tendências tecnológicas na prática

Grupo tem expectativa que o ano de 2018 tenha uma melhora, pois 2017 não foi considerado um ano bom para o segmento empresarial - Foto: Divulgação/ACI-NH/CB/EV,

Na reunião do Comitê de Economia da Associação Comercial, Industrial e de serviços de Novo Hamburgo, Campo Bom e Estância velha, realizada na quarta-feira (21), os integrantes fizeram uma análise das tendências do setor no quesito tecnológico. Segundo apresentou o grupo, o avanço dos canais eletrônicos e a busca por eficiência têm levado a rede bancária a reduzir a rede física de atendimento. A previsão é de que em 2030 as agências bancárias físicas irão se extinguir, a exemplo do que já começa a acontecer nos dias atuais.

Também ligado a realidade tecnológica, por maior segurança, as pessoas hoje estão circulando com menos dinheiro, e utilizando mais cartões de crédito e débito, e também a Internet Banking. O lado negativo com o fechamento das agências, é de que haverá mais imóveis obsoletos e mais desempregos. “A parte operacional sempre vai existir, para alimentar as informações e também nos call centers, mas em menores números e com profissionais mais habilitados”, reforçou o grupo, coordenado pelo vice-presidente Flávio Stein.

Na área industrial, devido a redução do número de empresas que industrializavam calçados na região, o setor de couros ainda sofre muito, mas empresas do mercado interno vão se adaptando e as exportações estão sendo retomadas, com mais exigências. E para fidelizar o cliente, as empresas estão sempre em busca de um aprimoramento, fazendo melhorias, o que gera uma grande diferença. Já o setor de máquinas sentiu uma melhora no cenário, a partir de outubro de 2017. A dificuldade, segundo o Comitê, vem ao encontro das questões financeiras das pessoas jurídicas, que não conseguem linhas de crédito. Como um maquinário não é um insumo, o retorno é a longo prazo.

Já no setor de varejo, o último a sentir a crise, a questão da concorrência desleal é o ponto mais complicado. A expectativa é que o ano de 2018 tenha uma melhora, pois 2017 não foi considerado um ano bom para o segmento.

Informações da ACI-NH/CB/EV