Saúde

Câncer de pâncreas: conheça os sinais

Para alertar a população sobre a importância da prevenção do câncer de pâncreas foi criada a campanha Setembro Roxo. Dados do Instituto Nacional do Câncer (Inca) mostram que, no Brasil, o tumor pancreático é responsável por cerca de 2% de todos os tipos de câncer diagnosticados e por 4% do total de óbitos por essa doença, o que representa um universo de mais de 8,7 mil pessoas. “Estamos falando de um dos tumores mais agressivos e de difícil diagnóstico, em virtude de sua localização”, alerta Dr. Ricardo Motta, oncologista do HCor – Hospital do Coração.

“Acredita-se que este será a segunda causa de óbito por câncer nas próximas décadas, já que a maioria dos pacientes é diagnosticada tardiamente e, infelizmente, vive só alguns meses após o diagnóstico e o tratamento”, alerta Dr. Motta. Em prol da campanha Setembro Roxo, o oncologista do HCor lista cinco sinais que podem ser um indício de câncer de pâncreas. Confira!

Icterícia: metade dos pacientes com câncer de pâncreas apresenta icterícia, condição que deixa a pele e os olhos amarelados. Isso porque, quando o tumor está instalado na parte superior do órgão, causa uma obstrução biliar.

Dor nas costas: à medida que o tumor avança pode provocar dores nas costas. No início, a dor é de baixa intensidade, podendo ficar mais forte. “A dor aparece porque o tumor pode comprimir os órgãos vizinhos, para os nervos ao redor do pâncreas. Vale lembrar que o câncer de pâncreas não é a principal causa da dor, outras doenças podem causar o sintoma com mais frequência”, ressalta Dr. Motta.

Aumento da glicose: frequentemente existem pequenos problemas com o metabolismo do açúcar que podem ser reconhecidos por exames de sangue específicos. Embora ocorra o aumento dos níveis de glicose no sangue, não se caracteriza diabetes. Esse aumento é provocado pela deficiência na produção de insulina, principal função do pâncreas.

Hábitos intestinais: a quantidade insuficiente de enzimas pancreáticas no intestino pode causar diarreia ou constipação, e pele amarelada. Isso ocorre porque devido à obstrução no canal biliar, bloqueio que provoca o aumento da quantidade de bilirrubina, um componente da bílis no sangue.

Perda de peso e náuseas: em algumas situações, a localização do tumor torna a alimentação mais difícil, como tumores que dificultem o trânsito normal do alimento pelo trato digestivo. O emagrecimento progressivo diminui a resistência do organismo a infecções e reduz a tolerância aos tratamentos necessários.

Posts relacionados

Botão Voltar ao topo