Saúde

Semana de Mobilização e Luta contra a Tuberculose

Neste sábado (24) é lembrado o Dia Mundial de Combate à Tuberculose. A data dá início à Semana Nacional de Mobilização e Luta Contra a doença, que afeta pelo menos 10 milhões de pessoas em todo o mundo anualmente, e leva mais de um milhão à morte, de acordo com o Ministério da Saúde.

Só no Brasil 70 mil pessoas são diagnosticadas com a doença a cada ano e 4,5 mil vão a óbito. Ainda segundo o MS, a faixa etária de maior incidência é dos 20 aos 40 anos de idade, sendo a maior parte dos casos registrados em homens.

O médico pneumologista Sérgio Pontes, da Aliança Instituto de Oncologia, explica que a doença é transmitida pelo ar, através do contato com secreções contaminadas ou portadores da doença. “Acredita-se que cada pessoa infectada com a bactéria mycobacterium tuberculosis ou Bacilo de Koch (BK), se não tratada, pode contaminar em torno de 15 pessoas no intervalo de um ano”, aponta. “A tuberculose acomete pessoas com baixa imunidade, como principalmente pacientes HIV positivos, que tenham alguma doença pulmonarcânceranemia ou diabetes. Geralmente essas pessoas têm a imunidade enfraquecida e estão mais suscetíveis a adquirir e desenvolver a doença”, explica. Ele afirma que a capital brasileira com maior incidência de acometidos é o Rio de Janeiro e Brasília é a que tem o menor número de diagnósticos.

Sintomas
Conforme o médico, os principais sintomas são: tossefebre e sudorese. “Na maioria das vezes, a febre é baixa e aparece no final da tarde, já a sudorese, vem à noite. A tosse pode ser seca ou com catarro e ter ou não a presença de sangue. Os indícios podem estar associados ainda à falta de apetite, emagrecimento intenso, sinais de desânimo e prostração”, destaca Pontes.

Tratamento
De acordo com Pontes, o tratamento da tuberculose é gratuito e oferecido pelo Sistema Único de Saúde (SUS). “A terapia, envolve algumas medicações e antibióticos por pelo menos seis meses, a depender da situação do paciente. Claro que há efeitos colaterais, como enjoos e mal-estar, mas é muito importante não interromper o tratamento, e depois de 15 dias tomando a medicação regularmente, o paciente não transmite mais a doença, podendo conviver com outras pessoas sem o menor problema”, argumenta.

Confira dicas do pneumologista para evitar o contágio da tuberculose:
– Mantenha a vacinação em dia, a BCG, que inclusive está no calendário de imunização é uma forma de proteção;
– Evite contato com pessoas que foram diagnosticadas com tuberculose ativa e não estão em tratamento
– E, por último, mantenha hábitos saudáveis de vida

Posts relacionados

Botão Voltar ao topo