Saúde

Cães terapêuticos ajudam a melhorar a vida das pessoas com doença mental

O Hospital Santa Mônica, em São Paulo, agora conta com a Intervenção Assistida por Cães. A terapia utiliza a interação entre terapeutas e cães para potencializar os processos de aprendizagem, auxiliar no desenvolvimento social e ainda gerar melhorias na saúde, bem-estar e autoestima dos pacientes.

Segundo o fisioterapeuta Vinicius Fava Ribeiro, um dos fundadores do Humanimais que realiza um trabalho voltado para Intervenção Assistida por Cães “nossa atuação é voltada para o diagnóstico e tratamento de diversas doenças como: esquizofrenia, déficit de atenção, depressão, transtorno bipolar, entre outros”. Vinicius reforça também que “os efeitos da terapia são potencializados tanto em crianças, quanto em adultos e pacientes geriátricos, além daqueles em cuidados paliativos, dando suporte aos acompanhantes”. Vinicius é dono do Madiba, um dos cães terapeutas do Humanimais e garante que a interação com o animal pode ajudar no processo de recuperação de memórias e tirar a pessoa do isolamento.

Ainda segundo o especialista, cada cachorro recebe um treinamento específico de acordo com a função que irá desempenhar, o que influencia é a análise do comportamento do animal, não da raça. O Madiba foi treinado desde pequeno para atuar como cão terapeuta, considerando seu perfil ativo e brincalhão, mas também muito educado. “E ele foi basicamente treinado pelos pacientes, que ensinaram vários comandos, como rolar, dormir e dar abraço”.

A equipe treina cães de assistência para atuarem com crianças do espectro autista, por exemplo, o cão pode ajudá-la a abordar e ser abordada por outras pessoas, além de evitar fugas e autoagressão, ajudar a socialização, tranquilizando os pais. “Essa mediação afetiva pode acontecer naturalmente também, mas o ideal é que o cachorro seja treinado, que os comportamentos sejam ajustados às necessidades da criança. É um grande ganho, algo que tira as crianças e também as famílias do isolamento”, pontua.

Por que utilizar cães terapeutas nas nossas práticas?

  • Liberação de B-endorfina, oxitocina, prolactina, dopamina, entre outros, produzindo efeitos tranquilizadores e relaxantes;
    • Diminuição os níveis de cortisol, hormônio do estresse;
    • Redução dos níveis de ansiedade;
    • A interação com os cães facilita a criação de vínculos afetivos, tornando as atividades mais prazerosas;
    • Não possuem a capacidade de julgar, assim os participantes sentem-se livres para errar;
    • Facilita a aprendizagem e a comunicação;
    • Estimula as habilidades sociais.

Os benefícios para a saúde mental associados ao uso de cães de terapia incluem:

Diminuição da ansiedade;
Maior sensação de conforto e segurança;
Redução da solidão;
Melhora da autoestima e confiança;
Aumento de comportamentos pró-sociais;
Diminuição de problemas comportamentais.

 

Estudos científicos realizados nos Estados Unidos e publicados na US National Library of Medicine – National Institutes of Health, relatam que a terapia assistida por cães tem alguns efeitos positivos sobre a saúde, bem-estar, depressão, estresse, humor e qualidade de vida para pacientes com distúrbios cognitivos graves.

Além disso, um estudo envolvendo pessoas com Alzheimer descobriu que passar o tempo com cães de terapia aumentou o tempo de recordação da memória e dos sentimento e ajudando a melhorar a qualidade de vida dos pacientes. Ao trabalhar com pessoas com autismo, descobriu-se que os cães de terapia aumentam a interação social e a comunicação e diminuíram os comportamentos problemáticos, a gravidade dos autistas e o estresse. Um estudo de cães de terapia em um ambiente de internação psiquiátrica concluiu que os cães podem melhorar significativamente as terapias convencionais.

 

Posts relacionados

Botão Voltar ao topo