Saúde

Artrite reumatoide: dicas simples que facilitam a rotina de quem sofre com a doença

Quem tem artrite reumatoide sofre para realizar atividades simples como levantar-se da cama diariamente. Isso acontece porque os principais sintomas da artrite reumatoide (AR) são inchaço das articulações, dor articular persistente, perda de flexibilidade e de amplitude no movimento e rigidez articular ao despertar. “As articulações mais atingidas são as das mãos, punhos, joelhos e pés”, aponta o médico reumatologista José Roberto Provenza. Como não existe cura para a doença, é preciso controlá-la e impedir sua progressão – que provoca cada vez mais limitações ao paciente.

Somente um médico pode indicar o tratamento adequado, que geralmente inclui mudanças no estilo de vida, uso de medicamentos e até cirurgia para os casos mais graves. Há diferentes abordagens farmacológicas para a artrite reumatoide, como analgésicos, anti-inflamatórios, corticóides e medicamentos modificadores do curso da doença (DMCD) que podem retardar o dano articular – como os agentes chamados de biológicos, por exemplo o Enbrel (etanercepte), que atua bloqueando uma espécie de proteína que estimula e perpetua o processo inflamatório (Fator de Necrose Tumoral Alfa -TNF alfa). “Além do tratamento, exercícios físicos de baixo impacto são extremamente importantes”, ressalta Provenza. “Eles ajudam a fortalecer os ligamentos e músculos, fazendo com que as articulações – tão prejudicadas pela AR – não fiquem sobrecarregadas”, explica. Para esses pacientes, atividades aquáticas como hidroginástica, os alongamentos e até mesmo musculação com pouco peso são indicados. “Respeitando o limite de cada um e das articulações, com supervisão de um fisioterapeuta ou professor de educação física”, alerta o médico.

Há ainda dicas simples e práticas que podem facilitar a vida dos pacientes com artrite reumatoide. “Um descanso de 45 a 60 minutos após o almoço é bastante importante, pois uma pausa no dia do paciente evita excessos para as articulações”, aconselha. Abaixo, outras medidas úteis:

• Dormir de lado, com três travesseiros: um debaixo da cabeça; outro entre as pernas para não bater um joelho com outro e nivelar a bacia e o quadril; e um terceiro para abraçar à frente, proporcionando uma posição mais confortável
• Evitar tomar café ou bebidas que contenham cafeína para não prejudicar o sono. Quem dorme mal não relaxa a estrutura muscular, causando dores adicionais ao paciente. Manter a postura correta ao sentar e andar também ajuda a afastar dores musculares
• Tornar a casa mais prática e menos favorável a quedas:
– Eliminar objetos que atrapalhem a locomoção, como tapetes pequenos ou que dobrem com facilidade; excesso de móveis. Garantir a boa iluminação dos ambientes
– Instalar barras no box do chuveiro, ao lado do vaso sanitário, nos corredores
• Elevar a altura da cama para ficar mais próxima do nível dos joelhos, facilitando o movimento de sentar e levantar
• Procurar utensílios desenvolvidos especificamente para portadores de AR, como talheres, geralmente produzidos por terapeutas ocupacionais
– Caso não encontre tais produtos, é possível fazer adaptações caseiras: utilizar uma esponja ao redor da escova de dente e de cabelo ou de talheres pode ajudar a segurá-los com mais facilidade
• Ao invés de abandonar atividades de lazer como jardinagem ou pintura, procure realizá-las fazendo pausas frequentes para descanso, não sobrecarregando as articulações e músculos.