DestaqueSaúde

Dormir durante o dia pode não ser uma boa ideia para as mães

Se tem uma coisa que falta na vida das mães é o sono. Seja por que o bebê precisa mamar ou está com o dente nascendo, ou por que a criança sente medo ou está gripada. Pergunte para uma mãe o que ela acha de tirar um cochilo e experimente ver a alegria nascer no rosto dela. Muitas, na ânsia por dormir, aproveitam as sonecas da tarde do bebê e vão dormir junto. No entanto, essa atitude pode não ser tão adequada. “A regulação do sono se dá por uma série de mecanismos, o sono da noite faz parte do ciclo natural das pessoas, e a qualidade dos sonos é melhor quanto mais natural puder ser. Dormir durante o dia não compensa a alteração de sono noturno, podendo, inclusive, alterar ainda mais a qualidade do sono”, explica o otorrinolaringologista do Hospital CEMA e membro da International Sleep Surgery Society, Emerson Thomazi.

Segundo o médico, o mais indicado é ter uma rotina consistente, ao invés de tentar entrar na rotina dos bebês. “Acompanhar o ritmo deles pode ser pior do que ficar sem dormir durante o dia”, alerta. Quem tem filhos pequenos sabe, eles demoram a engatar um sono de noite inteira. Para as mães, as consequências dessas noites mal dormidas vão desde inseguranças, cansaço e muita aflição, até conflitos no casamento, mal humor, agitação e muito estresse causados pela falta de sono.

Publicidade

Para os filhos, os danos também são sentidos. Além de contarem com mães cansadas, estressadas e, muitas vezes, isoladas pela falta de compreensão – o que impacta negativamente na relação entre mãe e filho – há o risco de que o sono das crianças fique ainda mais prejudicado. Principalmente se a mãe sofrer de insônia. Um estudo da Universidade de Basel, na Suíça, e de Warwick, no Reino Unido, concluiu que mães com insônia afetam diretamente a qualidade do sono dos filhos, fazendo-os dormir menos e de maneira mais superficial. “Talvez as crianças aprendam a imitar os padrões de sono dos pais, embora a insônia tenha também uma influência genética”, avalia o especialista.

Mas, como conseguir ter boas noites de sono? O médico dá algumas dicas. “A atividade física contribui para um sono melhor, além de aumentar a autoestima e disposição. Beber água com frequência também é importante, pois ajuda a regular o funcionamento do organismo. Comer bem, de modo saudável, sem recorrer a dietas desnecessárias, evitar o excesso de equipamentos eletrônicos, pois eles são péssimos para um sono de qualidade, são algumas ações que podem ajudar”, aconselha.

De acordo com Thomazi, outra medida essencial é adotar uma rotina consistente, para que o corpo se adapte e o relógio biológico funcione de modo adequado. Por último, é importante que as mães tenham clareza de que essas alterações de sono no início da vida dos filhos fazem parte do pacote da maternidade. “É importante saber que não é a única mãe a passar por esse período de adaptação. Isso diminui as angústias e incertezas geradas nessa fase. Vale a máxima de que esse período passa rápido”, finaliza o médico.

Publicidade

Etiquetas
Publicidade

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios