DestaqueSaúde

InCor responde: quais as restrições para os portadores de marca-passo?

Portadores de marca-passo podem praticar atividade física de todo tipo ou tem restrição para algumas modalidades, como futebol, vôlei e lutas marciais? Na vida diária estão liberados para viver normalmente ou convivem com restrições? A fisioterapeuta Camila Parente, pesquisadora do InCor, está desenvolvendo um projeto de aplicativo para celular que vai responder as questões acima, entre outras, feitas por usuários de marca-passo e dispositivos de estimulação e monitoramento do ritmo cardíaco, como o cardioversor-desfibrilador implantável e o ressincronizador*.

aplicativo vai orientar sobre dúvidas mais frequentes dos portadores desses aparelhos, afirma a fisioterapeuta, que antecipa a seguir algumas das informações que deve incluir no protótipo do aplicativo que está desenvolvendo para testes, nesta fase inicial do projeto de pesquisa. Antes de tratar delas vale lembrar, de acordo com o diretor da Unidade de Estimulação Cardíaca do InCor, Dr Martino Martinelli, que a engenharia e materiais utilizados nos atuais dispositivos protegem contra a eventual interferência de aparelhos eletroeletrônicos e sua radiação.

Por isso, o usuário pode retomar seu estilo de vida normal depois de pouco tempo de receber o implante, diz Camila. “Poderá tomar banhos de chuveiro ou de imersão, fazer sexo e praticar atividade física.” Nas tarefas domésticas do cotidiano poderá usar qualquer aparelho eletroeletrônico: televisores, rádios, fones de ouvido sem fio, aparelhos de som ou de audiovisual, telefones sem fio, secador de cabelos, barbeador elétrico, máquinas de lavar, aspiradores e micro-ondas.

Em relação ao micro-ondas, especificamente, o recomendado é não ficar em frente ao forno em funcionamento esperando o que for que estiver dentro dele aquecendo para evitar algum tipo de interferência do aparelho, ressalva Camila. Para a pesquisadora, a propósito, ficar na frente do microondas enquanto aquece a comida ou bebida a ser consumida é uma prática que ninguém deve ter: “a exposição às ondas emitidas pelo aparelho pode ser prejudicial”.

Aterramento necessário

Outra recomendação a seguir no ambiente doméstico, que a pesquisador irá incluir no aplicativo, tem relação com a instalação elétrica da casa. Segundo ela, é necessário fazer o aterramento da casa toda para evitar influência de equipamentos. “O aterramento do circuito elétrico impede, por exemplo, que um chuveiro gere uma interferência no marca-passo distorcendo o que é registrado pelo dispositivo”, ela diz, explicando que uma interferência desse tipo pode sugerir alteração de ritmo cardíaco, como uma arritmia, quando o paciente for fazer a avaliação médica. “Embora, de fato, não tenha tido nada.”

Outros cuidados recomendados para quem é portador de marca-passo ou dispositivos implantáveis é usar o celular sempre do lado oposto àquele em que foi inserido o aparelho. Por exemplo, se o marca-passo fica do lado direito do peito, o celular deve ser utilizado no ouvido esquerdo. Não é recomendado, ainda, carregar o aparelho no bolso da camisa. Estudos em laboratório já indicaram que o celular pode provocar interferência no marca-passo em um raio de quinze centímetros.

Quem viaja de avião ou tem de ir com frequência a agências bancárias deve levar sempre a carteira de identificação de portador de marca-passo para evitar se parado no raio X dos portões de embarque ou no dectetor de metais das portas giratórias das agências bancárias . O raio X interfere pouco no marca-passo, mas ao detectar a presença de metais pode levar o indivíduo a ser retirado da fila.

Portadores de dispositivos de estimulação cardíaca precisam estar atentos com relação à realização de exame de ressonância magnética. Dispositivos recentemente implantados são protegidos de interferência desse exame, mas maioria dos pacientes tem aparelhos (mais antigos) que podem não permitem o uso da ressonância magnética e por isso precisam ser especificamente informados. Na área da atividade física, não é recomendada a prática de esportes que ofereçam risco de colisão frontal como futebol e artes marciais. Atividades baseadas em movimentos extremos dos membros superiores como vôlei, basquete, tênis também são desaconselhadas, ao menos nos seis primeiros meses da implantação dos aparelhos.

Os usuários de cardioversor-desfibrilador devem ter cuidado, ainda, com a aproximação de aparelhos que utilizam imãs, presentes em uma grande variedade de equipamentos como alto-falantes de sistemas de som e/ou fones de ouvido e em motores, porque podem causar choque. Estes, tampouco, devem exercer atividades profissionais perto de máquinas geradoras de fortes vibrações, tais como furadeiras ou britadeiras, ou aparelhos elétricos que produzam fortes campos magnéticos, como linhas de alta tensão e estações de transmissão de rádio, televisão ou radar.

Tags

Adblock Detectado

Considere nos apoiar desabilitando o bloqueador de anúncios