Saúde

Saiba mais sobre a insuficiência cardíaca

No Brasil, a insuficiência cardíaca afeta 2,8 milhões de brasileiros e é responsável por 219 mil internações anualmente. Em virtude da alta incidência, trata-se da segunda principal doença cardíaca no país, atrás apenas do infarto do miocárdio. Segundo o DATASUS, somente em 2016 foram 28 mil mortes no Brasil por causa da doença. “Apesar da alta mortalidade no Brasil, muitos pacientes não realizam o tratamento. Por ser uma doença crônica, a insuficiência cardíaca agride o coração progressivamente e quando o paciente perceber que algo está errado, pode ser tarde demais”, alerta Dr. Mucio Tavares – médico cardiologista do InCor e membro da Rede Brasileira de Insuficiência Cardíaca (REBRIC). Entenda mais sobre insuficiência cardíaca, os principais sintomas e como a inovação vem contribuindo para o avanço no tratamento:

1. O que é?

A insuficiência cardíaca ocorre quando o órgão não se contrai com força suficiente para bombear a quantidade necessária de sangue para o corpo.

2. Quais são os sintomas?

O paciente sente falta de ar constante, inchaços nos tornozelos e pés, falta de ar ao se deitar e tosse ou chiado constante.

Associação com outras doenças

Uma pesquisa da Sociedade Brasileira de Cardiologia revelou que hipertensão arterial (70%), diabetes (34%), histórico de infarto (27%) e insuficiência renal crônica (24%) são as principais causas de insuficiência cardíaca.

Números alarmantes

A doença, popularmente conhecida como coração fraco, é mais fatal que diversos tipos de câncer, como o de mama em mulheres e o de colorretal em homens.

Tratamentos disponíveis

Tratamentos como enalapril estão disponíveis para o cuidado dos pacientes com insuficiência cardíaca e, recentemente, um novo medicamento chegou ao Brasil. O sacubitril-valsartana reduz o risco de morte em 20% e reduz as hospitalizações recorrentes.

Associação com Chagas

A Doença de Chagas pode afetar o funcionamento do coração ao destruir as fibras dos músculos em decorrência das inflamações causadas e desencadear no diagnóstico de insuficiência cardíaca.

Artigos relacionados