Saúde

Toxina botulínica ou preenchimento com ácido hialurônico?

Inevitavelmente, por volta dos 30 anos, os primeiros sinais de envelhecimento aparecem no rosto. Porém, não são apenas as rugas as responsáveis pelo aspecto envelhecido na face. O envelhecimento do rosto também é marcado pela perda do volume facial, que é resultado do reposicionamento e da redução da gordura facial, assim como do remodelamento ósseo. Como consequência, há mudanças na forma e no contorno do rosto. Soma-se a isso as manchas relacionadas ao fotoenvelhecimento, à gravidez e à acne, por exemplo.

Claro, que não se pode esquecer de citar a região periorbitária. Segundo a oftalmologista Dra. Tatiana Nahas, especialista em cirurgia de pálpebras e Chefe do Serviço de Plástica Ocular da Santa Casa de São Paulo, as pálpebras superiores perdem a elasticidade e acabam pesando. “Há pessoas com mais tendência a ter olheiras e as bolsas de gordura nas pálpebras inferiores. Todos esses aspectos acabam impactando numa aparência menos jovial e cansada”.

A fonte da juventude
A boa notícia é que todas essas condições podem ser tratadas ou amenizadas graças aos avanços na medicina estética. “Hoje a blefaroplastia é um dos procedimentos cirúrgicos estéticos mais procurados para melhorar a aparência facial. Podemos tanto corrigir o excesso de pele das pálpebras superiores, quanto retirar as bolsas de gordura das pálpebras inferiores”, diz Dra. Tatiana. Mas, quem quer adiar um pouco a cirurgia, pode contar com a dupla toxina botulínica e ácido hialurônico. As pessoas costumam achar que essas substâncias têm o mesmo efeito. Mas, cada um tem um objetivo diferente.

A toxina botulínica suaviza as rugas e as marcas de expressão ao bloquear a contração muscular, impedindo que a ruga apareça ou fique muito visível quando a pessoa se expressa. Vale lembrar que além de suavizar as marcas de expressão, a toxina age de forma preventiva na área em que foi aplicada, já que a pele não irá sofrer movimentação devido à paralisia muscular (no período de duração da toxina). “Podemos suavizar as rugas periorbitárias (pés de galinha), na testa, entre as sobrancelhas, ao redor dos lábios, etc.”.

Já o preenchimento com ácido hialurônico, como o próprio nome diz, irá preencher o volume e o contorno perdidos devido ao processo do envelhecimento. Assim, cada um destes procedimentos tem uma função diferente. Mas, o que ocorre é que normalmente são indicados juntos para chegar a um resultado mais satisfatório no rejuvenescimento facial.

Duração e custos são diferentes
A aplicação é similar, feita com pequenas agulhas, nos pontos que mais incomodam o paciente em relação à aparência. Mas, outra diferença importante é a duração. O preenchimento pode durar até 18 meses, enquanto que a toxina botulínica dura, em média, de 4 a 6 meses. Os valores também diferem. A toxina tem um preço menor, tornando-a mais acessível. O preenchimento tem um valor mais alto, principalmente quando é preciso preencher diversos pontos na face. Outro ponto positivo desses procedimentos é que são reversíveis, ou seja, se a pessoa não gostar do resultado, basta esperar o corpo absorver os produtos e aparência voltará ao que era antes das aplicações.