DestaqueRS

Projeto vai estudar peixes e tartarugas de lago em Farroupilha

A diversidade de peixes e tartaruga e as condições de vida das espécies de animais que habitam o lago do parque dos Pinheiros serão avaliadas por um estudo realizado pela Secretaria Municipal de Meio Ambiente da prefeitura de Farroupilha. A partir da próxima semana, munidos com redes de pesca, funcionários da secretaria vão capturar os peixes e tartarugas, que serão fotografados, medidos, pesados, avaliados cuidadosamente e devolvidos à água.

O projeto visa conhecer melhor a ictiofauna (conjunto de peixes que habitam o ambiente) e também as espécies de quelônios (tartarugas) presentes no lago artificial que possui uma extensão aproximada de 10 mil metros quadrados. A equipe da secretaria pretende identificar a maior quantidade de espécies de peixes, além de avaliar a influência da atividade humana no habitat dos animais.

Os resultados do estudo serão utilizados posteriormente para a elaboração do plano de manejo do Parque dos Pinheiros, que também terá a flora e a fauna analisadas. Além disso, será possível projetar o desassoreamento do lago, que possui, atualmente uma lâmina d’água que varia de 70cm a 1,5m de profundidade. O estudo também irá embasar futuras campanhas de educação ambiental e projetos de preservação, entre outras análises. Segundo o secretário de Meio Ambiente, Miguel Ângelo Silveira de Souza, existem espécies nativas e exóticas no lago. As exóticas, geralmente, são animais descartados pela população, como no caso das tartarugas. “As pessoas criam estes animaizinhos em suas casas, mas quando eles crescem muito, acabam descartando no lago, o que é complicado, pois gera uma população descontrolada de tartarugas”, declara o secretário. Entre as espécies de peixes que se espera encontrar no lago, baseado nas informações de moradores e frequentadores do parque, estão lambaris, carás, carpas, traíra, catfish e cascudo.

Artigos relacionados