DestaquePorto AlegreSaúde

Pesquisa realizada no Hospital de Clínicas de Porto Alegre analisou o desenvolvimento de síndrome metabólica

Quem não conhece um adolescente que passa horas em frente à TV, computador, celular ou videogame e acaba consumindo salgadinhos e outros alimentos processados em excesso nesses momentos? Pesquisa realizada no Hospital de Clínicas de Porto Alegre analisou a relação entre estes aspectos e o desenvolvimento de síndrome metabólica, um conjunto de fatores de risco que inclui obesidade abdominal, pressão alta, redução do colesterol “bom” e aumento da glicose.

O estudo mostrou que adolescentes que passam seis ou mais horas diárias diante das telas têm chances quase duas vezes maior de apresentar síndrome metabólica do que quem usa os eletrônicos por menos tempo. Foi estudada ainda a relação entre estes períodos e o consumo de junk food, evidenciando que só quem come alimentos não saudáveis enquanto faz uso dos aparelhos eletrônicos apresenta esta associação.

Conforme a pesquisadora e professora do Serviço de Endocrinologia do HCPA Beatriz Schaan, limitar as horas em frente às telas é importante, mas evitar o consumo de lanches industrializados durante a exposição é ainda mais. “As telas estão por todos os lados e às vezes são inevitáveis. Então, pode ser mais fácil tomar cuidados com a qualidade da alimentação”, explica.

A pesquisa integra o Estudo de Riscos Cardiovasculares em Adolescentes (Erica), de âmbito nacional, do qual o Clínicas faz parte. No Rio Grande do Sul, o Erica é coordenado pela professora Beatriz Schaan. Foram utilizados dados de mais de 33 mil adolescentes entre 12 e 17 anos de idade.

Etiquetas

Artigos relacionados

Fechar

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios